sicnot

Perfil

Mundo

Washington denuncia interceção perigosa de avião militar EUA por caça russo

Um responsável da Defesa norte-americana denunciou esta quarta-feira "a interceção perigosa" de um avião militar norte-americano por um caça russo sobre o Mar Negro, tendo ficado a uma distância de apenas três metros da aeronave.

"Durante a manobra de interceção, que durou cerca de 19 minutos, o SU-27 russo manteve inicialmente uma distância de nove metros, depois reduziu-a para três metros do P-8ª (Poseidon), o que é considerado perigoso e nada profissional", disse o responsável, a coberto do anonimato, antes de um anúncio do Pentágono.

Moscovo já reagiu, afirmando que os caças russos que hoje intercetaram aviões militares norte-americanos sobre o Mar Negro o fizeram "em estrito cumprimento das normas internacionais" quando aqueles tentavam espiar manobras militares russas.

O ministério da Defesa russo disse em comunicado que enviou caças SU-27 para vigiar os aviões norte-americanos P-8 Poseidon depois de eles "tentarem, por duas vezes, aproximar-se da fronteira russa sobre o Mar Negro sem os intercomunicadores ligados".

Lusa

  • Segurança da Academia de Alcochete avisado 10 minutos antes do ataque
    1:57
  • "Não acho que seja prudente" o regresso dos atletas à Academia do Sporting
    5:49

    Crise no Sporting

    As agressões aos jogadores e equipa técnica do Sporting, na Academia de Alcochete, foram o tema de uma entrevista a Ana Bispo Ramires, psicologa do desporto. Questionada sobre se os jogadores deveriam regressar ou não à academia, Ana Bispo Ramires diz que não devem fazê-lo e explica que é importante que haja medidas de atuação, o mais rápido possível, para que os atletas e restante equipa técnica do clube possam reprocessar, do ponto de vista cognitivo, as ameaças que sofreram. 

  • É desta que provam a existência do monstro de Loch Ness?

    Mundo

    Para muitos, o monstro de Loch Ness não passa de uma lenda. A verdade é que a existência ou não desta criatura mística continua a suscitar debates entre aqueles que acreditam e os cépticos. Uma equipa internacional de investigadores quer responder finalmente à questão através da recolha de ADN ambiental do Loch Ness, na Escócia.

    SIC