sicnot

Perfil

Mundo

Washington denuncia interceção perigosa de avião militar EUA por caça russo

Um responsável da Defesa norte-americana denunciou esta quarta-feira "a interceção perigosa" de um avião militar norte-americano por um caça russo sobre o Mar Negro, tendo ficado a uma distância de apenas três metros da aeronave.

"Durante a manobra de interceção, que durou cerca de 19 minutos, o SU-27 russo manteve inicialmente uma distância de nove metros, depois reduziu-a para três metros do P-8ª (Poseidon), o que é considerado perigoso e nada profissional", disse o responsável, a coberto do anonimato, antes de um anúncio do Pentágono.

Moscovo já reagiu, afirmando que os caças russos que hoje intercetaram aviões militares norte-americanos sobre o Mar Negro o fizeram "em estrito cumprimento das normas internacionais" quando aqueles tentavam espiar manobras militares russas.

O ministério da Defesa russo disse em comunicado que enviou caças SU-27 para vigiar os aviões norte-americanos P-8 Poseidon depois de eles "tentarem, por duas vezes, aproximar-se da fronteira russa sobre o Mar Negro sem os intercomunicadores ligados".

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.