sicnot

Perfil

Mundo

Explosão de carro bomba faz vários feridos na cidade turca de Van

AP

A explosão de uma viatura armadilhada abalou hoje a cidade turca de Van, fazendo quase 50 feridos, incluindo dois polícias, anunciou um porta-voz do governo local, citado pela AFP.

Ninguém reivindicou ainda o ataque, que ocorreu no primeiro dia da festa muçulmana do Eid Al-Adha, ou Festa do Sacrifício, mas as autoridades turcas já responsabilizaram o partido ilegal PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), classificado como grupo terrorista pela Turquia e pelos seus aliados ocidentais

O ataque ocorreu no centro de uma cidade movimentada, junto a um posto de controlo no exterior dos escritórios do partido no poder (AKP), informou o gabinete do governador local em comunicado, citado pela AFP.

"Quarenta e seis civis e dois polícias ficaram feridos após a explosão de um carro bomba provocada por membros da organização terrorista separatistas", pode ler-se no comunicado, que se referia aos militantes curdos.

Já antes, o deputado do AKP em Van Besir Atalay, tinha acusado o PKK, que há mais de 30 anos mantém uma campanha contra o Estado turco.

"A organização terrorista alvejou o nosso partido e a presença do AKP no passado. Este é um dos seus ataques", disse o parlamentar à televisão privada NTV.

Testemunhas contaram que a força da explosão destruiu janelas nas redondezas e muitas ambulâncias foram enviadas para o local.

A televisão mostrou imagens de um canhão de água a ser usado para apagar um incêndio provocado pela explosão.

Van, uma cidade que reúne população curda e turca nas margens do lago com o mesmo nome, tem sido poupada aos ataques que se registam em cidades como Diyarbakir.

A cidade é um destino turístico popular, particularmente para os iranianos, que atravessam a fronteira para ali fazerem compras e aproveitarem o ambiente descontraído.

O incidente surge depois de, no domingo, o Governo anunciou o afastamento de 28 prefeitos, maioritariamente por alegadas ligações ao partido ilegal PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), numa medida fortemente criticada pelos partidos pró-curdos.

Ancara tem apertado a sua campanha militar no sudeste do país para erradicar os militantes do PKK, que têm lançado ataques quase diários desde a rutura de um frágil cessar-fogo no ano passado.

Dezenas de milhares de pessoas foram mortas desde que o PKK iniciou a sua luta, em 1984, para criar um Estado independente para a minoria curda da Turquia.

A Turquia também lançou uma operação no interior da Síria contra o grupo Estado Islâmico, assim como para expulsar as milícias curdas sírias da sua fronteira.

Lusa

  • Turquia demite 28 presidentes de câmara

    Mundo

    O Ministério do Interior turco demitiu e substituiu hoje 28 presidentes de câmara acusados de ligações à guerrilha curda do PKK ou à rede do predicador Fethullah Gülen, que Ancara define como grupos terroristas, e substituiu-os por administradores.

  • Descobertos fósseis que podem provar existência de vida em Marte

    Mundo

    Fósseis com 3,77 mil milhões de anos, dos mais antigos já descobertos, foram identificados por cientistas de vários países na província do Quebec, no leste do Canadá. As descobertas coincidem no tempo com a altura em que Marte e a Terra tinham água líquida à superfície, o que levanta questões sobre a hipótese de vida extraterrestre.

  • As polémicas declarações de João Braga sobre os Óscares

    País

    A Associação SOS Racismo reagiu esta quarta-feira às palavras do fadista João Braga na sua página no Facebook, sobre a cerimónia de entrega dos Óscares, e disse esperar que a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial atue de forma exemplar face.

  • "Apelamos ao debate e somos criticados? Então m...."
    0:52
  • Oprah admite candidatar-se à Presidência dos EUA

    Mundo

    A apresentadora norte-americana Oprah Winfrey admitiu, numa entrevista, que a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais de novembro a fez considerar a possibilidade de entrar na corrida à Casa Branca.

  • Temperaturas recorde no "último lugar da Terra"

    Mundo

    A Organização Meteorológica Mundial (OMM) anunciou esta quarta-feira que se registaram nos últimos 37 anos temperaturas altas recorde na Antártida, num local que foi descrito como "o último lugar da Terra".