sicnot

Perfil

Mundo

Google descontente com proposta da Comissão Europeia sobre direitos de autor

A Google mostrou-se esta quarta-feira descontente com a nova proposta da Comissão Europeia (CE) sobre direitos de autor no meio digital, porque representa um recuo, ao prever "um novo direito para os editores da imprensa".

Esta proposta, apresentada pela CE "após pedidos de uma abordagem diferente feitos por dezenas de milhares de diferentes vozes", sublinhou a Google, é semelhante às "leis falhadas tanto em Espanha como na Alemanha" e representa "um passo atrás para os direitos de autor na Europa".

As novas normas poderão "limitar a possibilidade de a Google gerar tráfico de forma gratuita e que possa ser rentável para os 'media' de notícias, através do Google News e do motor de busca", sustentou a gigante tecnológica.

"Pagar para mostrar fragmentos de informação não é uma opção viável para ninguém", defendeu em comunicado a vice-presidente de Política Global da Google, Caroline Atkinson.

Além disso, o motor de pesquisa da internet considera que "a inovação vai ser ainda mais complicada para quem quer que escreva, leia ou faça 'link' de uma notícia", bem como para as empresas emergentes que trabalham na Europa no setor dos 'media'.

A CE propôs hoje uma atualização das normas de telecomunicações e direitos de autor que coloca na mira plataformas como o Youtube ou o Google News no combate à pirataria.

O objetivo é que "as plataformas da internet concedam remuneração justa a quem edita e a quem cria", explicou o comissário europeu de Economia e Sociedade Digitais, Günther Oetteinger.

A Comissão quer conceder aos editores da imprensa um "novo direito" para que sejam "pela primeira vez reconhecidos juridicamente como titulares de direitos" e estejam em "melhor posição para negociar o uso dos seus conteúdos em relação a serviços 'online' que os utilizam ou oferecem acesso a eles".

Na opinião da Google, a via escolhida por Bruxelas não é a melhor.

"A inovação e os acordos (sem impostos ou subsídios) são a chave para ter um setor de meios de informação bem-sucedido, diversificado e sustentável na Europa, e na Google, comprometemo-nos a desempenhar o nosso papel", afirmou Atkinson.

A responsável considera também que é necessário manter um equilíbrio entre os lucros que os proprietários de direitos devem obter pelo seu trabalho e o desenvolvimento da criatividade e inovação por parte de uma 'web'.

"Há alguns pontos na proposta que refletem isto e agradecemos que a Comissão exija mais transparência e uma maior partilha de dados entre artistas e proprietários de direitos, um passo importante para criar um mercado de direitos de autor mais justo e eficaz", disse Atkinson.

A Google aplaudiu ainda que a Comissão reconheça que as tecnologias para o controlo e gestão dos direitos de autor, como o Content ID do YouTube, têm um papel importante contra o uso não autorizado de conteúdo protegido por direitos.

Mas salientou que a 'web' assenta na capacidade dos utilizadores para partilhar textos, imagens e vídeos e criticou que as obras que incluam texto, vídeo ou imagens devam "ser filtradas pelos serviços 'online'".

"Isso equivale a transformar a Internet num lugar onde tudo deve ser revisto por advogados antes de chegar ao público", comentou.

Lusa

  • O insólito cartão amarelo mostrado a Felipe

    Desporto

    Aos 53 minutos do jogo desta quarta-feira entre o Sporting e o FC Porto, a contar para a Taça de Portugal, Jorge Sousa apercebe-se que Felipe enganou-se na camisola que vestiu ao intervalo. O defesa central reentrou com a camisola de Soares. O árbitro mostrou o cartão amarelo e mandou o jogador para o banco trocar de camisola.

  • Dez feridos ligeiros em naufrágio de embarcação em Cascais

    País

    Uma embarcação de recreio com 10 pessoas a bordo naufragou ao largo da Parede, na linha de Cascais. Todos os tripulantes foram resgatados pelas autoridades marítimas e bombeiros e apresentam escoriações ligeiras e sinais de hipotermia. O barco foi entretanto retirado da água e a marginal continua cortada ao trânsito.

  • PS apresenta Lei de Bases da Habitação para abrir debate sobre habitação acessível
    1:19

    Economia

    O PS quer avançar com uma Lei de Bases da Habitação. A proposta apresentada esta quinta-feira propõe a requisição de casas devolutas para habitação e apoios concretos para o arrendamento a preços acessíveis. O líder parlamentar do PS, Carlos César, diz que é tempo de abrir um debate sobre a habitação que acredita que pode resultar numa Lei ainda na atual legislatura.

  • A morte anunciada da ETA

    Mundo

    A organização separatista basca ETA vai anunciar a sua dissolução em 05 de maio, durante uma cerimónia marcada para Bayona, no País Basco francês, disseram à agência Efe fontes conhecedoras do processo.