sicnot

Perfil

Mundo

Maquinista deixa viagem a meio porque o turno acabou

O episódio insólito aconteceu em Espanha. Um maquinista decidiu parar o comboio quando o seu turno chegou ao fim. Para trás, e a meio do percurso, ficaram mais de 100 passageiros.

Segundo o "El País", tudo aconteceu na terça-feira à noite, quando o maquinista interrompeu a marcha do comboio que circulava entre Santander e Madrid e parou na localidade de Osorno, em Palência, onde moram cerca de 1400 pessoas.

"O maquinista alegou que tinha terminado o seu turno diário e que não tinha substituto" e, por isso, decidiu parar o comboio, disse fonte da Guarda Civil.

O comboio devia chegar a Madrid às 23:37 (hora local), no entanto o desfecho foi outro e a viagem ferroviária chegou ao fim por volta das 21h.

A resolução do problema não foi fácil, os passageiros que queriam ir para Palência e Valladolid só tiveram um ligação de autocarro por volta das 23:00. Quem pretendia chegar à capital espanhola teve aguadar mais 30 minutos. O que fez com certos passageiros chegassem ao destino com mais de cinco horas de atraso.

A Renfe, empresa responsável, considerou o "incidente pouco habitual" e já emitiu um pedido de desculpas aos 109 passageiros: "Lamentamos o atraso e os transtornos causados e informamos que os passageiros têm direito ao reembolso a 100% do valor do bilhete".

A empresa disse ainda que vai apurar os motivos que levaram à decisão do maquinista e decidir se lhe será aplicada uma sanção.

  • Madrid suspende governo regional da Catalunha

    Mundo

    O chefe do Governo espanhol anunciou hoje que decidiu acionar o artigo 155º da Constituição espanhola e pedir ao Senado a suspensão das funções do governo regional da Catalunha, limitar as competências do parlamento regional e marcar eleições num prazo de seis meses.. Em conferência de imprensa justificou a adoção das medidas dada a "desobediência rebelde, sistemática e consciente" do Governo regional (Generalitat).

    Em atualização

  • Manifestações contra os incêndios um pouco por todo o país
    1:33

    País

    Estão marcadas para esta tarde várias manifestações contra os incêndios e as políticas florestais, mas também de homenagem às vítimas dos fogos que arrasaram o país. As iniciativas de protesto são quase todas organizadas através das redes sociais e por grupos de cidadãos.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.