sicnot

Perfil

Mundo

Maquinista deixa viagem a meio porque o turno acabou

O episódio insólito aconteceu em Espanha. Um maquinista decidiu parar o comboio quando o seu turno chegou ao fim. Para trás, e a meio do percurso, ficaram mais de 100 passageiros.

Segundo o "El País", tudo aconteceu na terça-feira à noite, quando o maquinista interrompeu a marcha do comboio que circulava entre Santander e Madrid e parou na localidade de Osorno, em Palência, onde moram cerca de 1400 pessoas.

"O maquinista alegou que tinha terminado o seu turno diário e que não tinha substituto" e, por isso, decidiu parar o comboio, disse fonte da Guarda Civil.

O comboio devia chegar a Madrid às 23:37 (hora local), no entanto o desfecho foi outro e a viagem ferroviária chegou ao fim por volta das 21h.

A resolução do problema não foi fácil, os passageiros que queriam ir para Palência e Valladolid só tiveram um ligação de autocarro por volta das 23:00. Quem pretendia chegar à capital espanhola teve aguadar mais 30 minutos. O que fez com certos passageiros chegassem ao destino com mais de cinco horas de atraso.

A Renfe, empresa responsável, considerou o "incidente pouco habitual" e já emitiu um pedido de desculpas aos 109 passageiros: "Lamentamos o atraso e os transtornos causados e informamos que os passageiros têm direito ao reembolso a 100% do valor do bilhete".

A empresa disse ainda que vai apurar os motivos que levaram à decisão do maquinista e decidir se lhe será aplicada uma sanção.

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28