sicnot

Perfil

Mundo

Assassino arrependido acusa presidente das Filipinas de ter matado investigador da Justiça

Rodrigo Duterte matou um investigador do ministério da Justiça e ordenou o assassínio de opositores quando era presidente de câmara, afirmou esta quinta-feira um homem que se apresentou como assassino arrependido, num testemunho explosivo contra o presidente das Filipinas.

Edgar Matobato, 57 anos, falava perante a comissão do Senado filipino que investiga o aumento dos homicídios desde que o chefe de Estado tomou posse a 30 de junho.

Matobato contou que em 1993 Rodrigo Duterte "despejou dois carregadores de Uzi (pistola metralhadora)" sobre um certo Jamisola, agente do Departamento Nacional de Inquérito, que depende do Ministério da Justiça.

Segundo o testemunho, o "esquadrão da morte" a que Matobato pertencia entrou em confronto verbal e envolveu-se depois num tiroteio com Jamisola, antes do então presidente da Câmara de Davao ter chegado ao local do incidente.

"Foi o presidente da Câmara que o concluiu. Jamisola ainda estava vivo quando ele chegou. Ele despejou dois carregadores de Uzi sobre ele", afirmou.

O seu "esquadrão da morte" composto por polícias e antigos rebeldes comunistas assassinou, disse, em 25 anos (1988-2013) e à ordem de Rodrigo Duterte, um milhar de pessoas, uma das quais foi lançada viva aos crocodilos.

Muitas outras foram estranguladas e os corpos queimados ou cortados em pedaços e enterrados numa pedreira que pertencia a um polícia do grupo. Outros cadáveres foram atirados ao mar.

"O nosso trabalho era matar criminosos, violadores, traficantes e ladrões. Era o que fazíamos", reconheceu.

A senadora Leila de Lima, uma antiga ministra da Justiça, afirmou que Edgar Matobato se entregou em 2009 à Comissão filipina sobre os direitos humanos à qual ela presidia. Precisou que ele integrou depois um programa de proteção de testemunhas.

O ministro da Justiça, Vitaliano Aguirre, classificou de "mentiras" e "invenções" as declarações de Matobato, enquanto o porta-voz de Rodrigo Duterte, Martin Andanar, considerou improvável que o antigo advogado, atualmente com 71 anos, possa ter ordenado a morte de tantas pessoas.

"Não creio que ele seja capaz de dar tais diretivas. A comissão dos direitos humanos investigou há muito tempo a questão e não deu seguimento legal", declarou.

São "simples boatos" ditos por um "louco", reagiu o filho do chefe de Estado, Paolo Duterte.

Rodrigo Duterte é há muito acusado pelas organizações de defesa dos direitos humanos de ter financiado esquadrões da morte em Davao, mas esta é a primeira vez que um testemunho tão preciso apoia essas alegações.

Duterte foi eleito para a presidência em maio, após uma campanha populista durante a qual prometeu acabar em seis meses com o tráfico de droga.

Esta "guerra contra a droga" já causou 3.140 mortos, na maioria pessoas assassinadas por civis provavelmente encorajados pelos apelos do presidente para que fizessem justiça pelos seus próprios meios.

Lusa

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.