sicnot

Perfil

Mundo

Jovem processa pais por publicarem no Facebook fotos da sua infância

Uma jovem austríaca de 18 anos resolveu processar os pais pela publicação de fotos da sua infância, em situações que considera estarem a violar a sua privacidade. A questão é polémica, mas em alguns países a lei já definiu limites para estas situações, pondo travão a alguns abusos por parte dos pais.

Pais que publiquem fotos das suas crianças no Facebook podem um dia ver-se confrontados com a revolta dos filhos. Fotografias no banho, na sanita, ou noutras situações privadas, podem no mínimo ser causadoras de desconforto para muitos jovens adultos.

O caso da rapariga austríaca, que não quis revelar a identidade, será um entre vários, mas desta vez atingiu o extremo de a jovem decidir processar os pais porque estes se recusam a retirar as fotos do Facebook.

"Eles não tiveram vergonha, nem limites", disse ao jornal local de língua inglesa The Local. "Eles não queriam saber se era uma foto minha sentada na sanita ou deitada nua no berço. Todas as situações eram fotografadas e tornadas públicas", acrescentou.

A jovem pediu várias vezes aos pais para que retirassem as cerca de 500 fotos suas do Facebook, mas o pedido tem sido sistematicamente recusado.

"Estou cansada de não ser levada a sério pelo meus pais", desabafou para justificar a sua decisão de processar os pais.

O seu advogado, Michael Rami, considera que a legislação está do seu lado e que as imagens publicadas violam o direito de privacidade.

Em 12 anos de existência da rede social Facebook, este género de casos tende a tornar-se mais frequente, daí que em certos países a legislação já esteja bem definida. Em França, por exemplo, a violação da privacidade de um menor pode ser punida com prisão.

O pai da jovem austríaca alega que tem o direito a partilhar as fotos no Facebook porque foi ele que as tirou. O desfecho só será conhecido em novembro, quando o processo for a julgamento.

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.