sicnot

Perfil

Mundo

Aviões da coligação liderada pelos EUA atacam exército sírio

A coligação internacional liderada pelos Estados Unidos atacou este sábado uma posição do exército sírio no leste do país, segundo um comunicado das Forças Armadas sírias, transmitido pela televisão estatal.

"Os aviões da coligação internacional (liderada pelos Estados Unidos) atacaram uma das posições do exército sírio (...) perto do aeroporto de Deir Ezzor", no leste do país, indicou o exército, anunciando a existência de "feridos", mas sem precisar o número.

De acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, este ataque causou a morte de pelo menos 30 soldados.

"Os ataques próximos do aeroporto de Deir Ezzor mataram entre 30 a 35 soldados sírios", adiantou o Observatório.

Por seu lado, o exército russo disse que mais de 60 soldados do governo sírio foram mortos e dezenas de outros ficaram feridos neste ataque.

"Sessenta e dois soldados sírios foram mortos e dezenas de outros foram feridos nestes ataques", adiantou.

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida