sicnot

Perfil

Mundo

Erdogan insta na ONU a ação global contra religioso turco exilado nos EUA

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, instou esta terça-feira a uma ação internacional contra o religioso turco exilado nos Estados Unidos Fethullah Gulen, que acusa de orquestrar um golpe de Estado abortado contra o seu Governo.

"Gostaria de apelar a todos os nossos amigos para tomarem as medidas necessárias contra a Organização Terrorista Fethullah (FETO) nos seus países, pelo futuro dos seus próprios povos e do seu bem-estar", declarou na Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, referindo-se ao movimento de Gulen.

O clérigo, que fugiu da Turquia para a Pensilvânia e tem trabalhado nas áreas do diálogo inter-religioso e da solidariedade, rejeita de forma contundente as acusações de Erdogan de que terá organizado a tentativa de golpe militar de julho, que rapidamente foi abafada.

O chefe de Estado turco, que levou a cabo uma purga de seguidores de Gulen nas escolas e nas forças armadas enquanto endurecia o regime, disse nas Nações Unidas que o movimento do religioso está presente em 170 países, representando uma "ameaça à segurança nacional" de todos eles.

"Esta organização terrorista alimenta a profunda heresia mental de subjugar todo o mundo, muito além da Turquia. É evidente, pela nossa experiência, que se não lutarem contra a FETO agora, amanhã será demasiado tarde", comentou, referindo-se ao grupo através de um acrónimo.

Erdogan tem pressionado os Estados Unidos para extraditarem Gulen. O vice-Presidente norte-americano, Joe Biden, disse, numa visita à Turquia, que os especialistas legais e os tribunais precisariam de analisar as provas contra o clérigo.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão