sicnot

Perfil

Mundo

Presidente iraniano encontra-se com Fidel e Raul Castro

Presidente iraniano encontra-se com Fidel e Raul Castro

O presidente do Irão encontrou-se com os irmãos Castro na primeira visita oficial a Havana, em Cuba. Hassan Rohani deslocou-se a casa do líder da revolução cubana, Fidel Castro, de 90 anos, com quem conversou durante algumas horas.

Durante a sua breve visita, Rohani reuniu-se com o líder da revolução cubana, Fidel Castro, de 90 anos e afastado do poder desde 2006, com quem teve um "fraternal intercâmbio" na sua casa, segundo indicaram os meios de comunicação oficiais da ilha.

"O distinto visitante expressou a sua satisfação por visitar Cuba e deixou clara a sua admiração pela luta, pelas conquistas e pela ajuda desinteressada a outros povos", indica a nota oficial do encontro com Fidel Castro, que foi visto pela última vez em público a 13 de agosto, por ocasião dos seus 90 anos.

O Presidente iraniano deslocou-se depois ao Palácio da Revolução para um encontro formal com Raúl Castro, com quem teve uma reunião privada de quase duas horas, em que os dois falaram sobre "o bom estado das relações" entre os seus países e sublinharam a vontade de "continuar a desenvolver vínculos de colaboração", segundo a nota oficial do encontro.

Rohani chegou na manhã de segunda-feira a Havana, acompanhado de vários ministros, incluindo os titulares das pastas da Saúde, Indústria e Minas, Ciência e Tecnologia e Negócios Estrangeiros.

Os ministros da Saúde dos dois países assinaram um memorando de entendimento para a cooperação nos campos da saúde, investigação, educação, medicamentos e tecnologia médica.

A aproximação entre o Irão e Cuba acontece numa altura em que os dois países beneficiam do levantamento de algumas sanções económicas impostas pelos Estados Unidos.

Depois de Rohani, Cuba receberá a visita do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, naquela que será a primeira deslocação de um chefe de Governo nipónico ao país comunista.

No final desta semana viaja também para Cuba o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang.

Com Lusa

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.