sicnot

Perfil

Mundo

Estados Unidos enviam outro bombardeiro para a Coreia do Sul em aviso ao Norte

Reuters

Os Estados Unidos enviaram hoje outro bombardeiro para a Coreia do Sul, como aviso à Coreia do Norte, aumentando a tensão devido ao novo teste nuclear e contínuos desenvolvimentos de armamento do regime de Kim Jong-un.

O bombardeiro supersónico B-1B Lancer aterrou na base norte-americana de Osan em Pyeongtaek, a 70 quilómetros de Seul, procedente da base de Guam, no Pacífico, informaram as Forças dos Estados Unidos na Coreia do Sul (USFK), em comunicado.

Inicialmente foram dois os bombardeiros que partiram para Guam em direção à Coreia do Sul, mas um teve de regressar, revelou à Efe uma porta-voz das USFK em Seul, sem especificar o motivo.

Os Estados Unidos já enviaram na semana passada para Osan dois B-1B Lancer, que realizaram um voo de teste sobre a Coreia do Sul como sinal de advertência à Coreia do Norte, quatro dias depois do quinto teste nuclear, no dia 09.

A chegada do novo bombardeiro "é apenas um recurso da ampla gama de opções que temos" para responder ao "comportamento agressivo" da Coreia do Norte, indicou o tenente general Thomas W. Bergeson da Força Aérea dos Estados Unidos.

"A península coreana enfrenta uma grave crise de segurança devido à quinta prova nuclear da Coreia do Norte e ao seu contínuo lançamento de mísseis balísticos e SLBM (mísseis lançados a partir de um submarino)", afirmou por seu lado o tenente general Lee Wang-keun, comandante de operações da Força Aérea sul-coreana.

Os Estados Unidos mantêm, desde a Guerra da Coreia (1950-53), uma aliança militar com a Coreia do Sul, em que se comprometem a defender o seu aliado num hipotético conflito com o Norte. O quinto teste nuclear norte-coreano gerou uma forte condenação entre a comunidade internacional e é possível que o Conselho de Segurança da ONU imponha novas sanções ao regime de Kim Jong-un.

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.