sicnot

Perfil

Mundo

Maioria dos turcos considera impossível adesão à União Europeia

© Reuters

A maioria da população turca (64%) considera impossível a adesão à União Europeia como membro de pleno direito, contra 22% que acredita nessa possibilidade, de acordo com uma sondagem publicada esta quarta-feira pela imprensa turca.

A sondagem realizada pela Fundação Turquia-Europa de Investigação Científica e Educação revela o ceticismo crescente da população turca em relação à UE.

A principal justificação para a descrença na possibilidade de adesão (59% dos entrevistados) é atribuída à "islamofobia" no Velho Continente, enquanto menos de um terço da amostra (28%) se volta para dentro e atribui à falta de padrões democráticos no país a principal razão para acreditar que a Turquia não virá a ser um Estado-membro.

A maioria dos turcos (56%) considera que a oposição de França é o principal obstáculo à adesão do país à UE e 23% pensa que uma participação na Organização para a Cooperação de Xangai (SCO na sigla em ingês) poderia ser uma boa alternativa à União Europeia. A aposta por uma "política independente" foi a escolha de 22% dos entrevistados.

Menos de um quinto da amostra (18%) estima que Ancara deveria intensificar a "cooperação com os (países) vizinhos" e uma percentagem igual dos entrevistados é favorável a uma aproximação da Turquia aos BRICS (na sigla em inglês para Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Apesar da descrença na possibilidade de adesão à União Europeia, mais de metade da amostra (56%) considera que a Turquia necessita economicamente do clube europeu, contra 44% que pensa o contrário.

Lusa

  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • "Todas as decisões que tomei foi sempre a pensar no Sporting primeiro"
    2:08
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.