sicnot

Perfil

Mundo

Índia aconselha Paquistão a "esquecer sonho" de controlar Caxemira

A Índia aproveitou esta segunda-feira a Assembleia-geral das Nações Unidas em Nova Iorque para acusar o Paquistão de terrorismo e reafirmar que nunca cederá o controlo sobre a região da Caxemira, disputada entre os dois países.

A ministra dos Negócios Estrangeiros indiana, Sushma Swaraj, afirmou que "o Paquistão continua a acreditar que vai conseguir o território que pretende", numa referência a um ataque recente contra uma base militar indiana.

"Aconselho firmemente o Paquistão a abandonar este sonho. Deixem-me dizer sem qualquer equívoco que Jammu e Caxemira é parte integrante da Índia, agora e sempre".

Sushma Swaraj pediu à comunidade internacional para isolar o Paquistão pelas alegadas ligações com grupos terroristas.

"Existem, entre nós, países que alimentam e exportam o terrorismo. Devemos identificar estas nações e obrigá-las a prestar contas", declarou.

Na passada quarta-feira, também na 71.ª sessão da Assembleia-geral da ONU, o primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, criticou duramente a Índia em relação a Caxemira, e afirmou que Nova Deli era um obstáculo à paz.

A Caxemira registou, há uma semana, o incidente mais grave dos últimos 15 anos com o ataque a uma instalação base militar indiana por rebeldes, no qual morreram 18 soldados.

O exército indiano atribuiu o ataque ao grupo rebelde Jaish-e-Mohammad, com base no Paquistão, que já tinha implicado num ataque, em janeiro, a uma base da força aérea indiana em Pathankot, no estado do Punjab (norte), no qual morreram sete soldados.

Diferentes grupos separatistas combatem, há várias décadas, a presença do exército indiano na região, que destacou perto de meio milhão de soldados, para exigir a independência do território ou a integração no Paquistão.

A Índia e o Paquistão reivindicam a soberania em toda esta região montanhosa, dividida entre os dois países após o fim do domínio britânico em 1947. Dezenas de milhares de pessoas, na grande maioria civis, morreram no conflito.

Lusa

  • Encontrados destroços do avião que caiu no Irão

    Mundo

    As autoridades iranianas encontraram destroços do avião que caiu no domingo no sudeste do país, matando as 66 pessoas que seguiam a bordo, revelou um porta-voz da Guarda Revolucionária, o exército de elite do regime.

  • 2,6 milhões de bebés morrem antes de completar um mês

    Mundo

    Os recém-nascidos no Paquistão, República Centro-Africana e Afeganistão são os que têm menor probabilidade de sobreviver, de acordo com um relatório da Unicef que revela que todos os anos 2,6 milhões de crianças morrem antes de completar um mês. Sobretudo nos países mais pobres do mundo, o número de mortes de recém-nascidos a nível global mantém-se assustadoramente elevado.

  • Galp regista lucro de 602 M€ em 2017 

    Economia

    A Galp registou um lucro de 602 milhões de euros no ano passado. Uma subida de 25 por cento em relação a 2016. De acordo com a empresa, os resultados devem-se sobretudo ao aumento da produção de petróleo e gás natural no Brasil, bem como o crescimento dos negócios da refinação e distribuição.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC