sicnot

Perfil

Mundo

Levantado recolher obrigatório em Charlotte, EUA

As autoridades de Charlotte, nos Estados Unidos da América, levantaram no domingo o recolher obrigatório decretado na sequência de violentas manifestações naquela cidade do estado da Carolina do Norte desencadeadas pela morte de um afroamericano às mãos da polícia.

O anúncio produz efeitos imediatos, pelo que à meia-noite (5:00 em Lisboa) a medida de recolher obrigatório não entrará em vigor, como ocorria desde a passada sexta-feira.

"A presidente da câmara [Jennifer] Roberts continua a instar a comunidade a reconciliar-se e a demonstrar a sua unidade de uma forma legal e pacífica", refere um comunicado oficial em que se anuncia o fim do recolher obrigatório.

Apesar do recolher obrigatório, centenas de pessoas mantiveram os protestos nas ruas nos últimos dias para lá da meia-noite, embora não se tenham repetido distúrbios e confrontos com a polícia como nos primeiros dias.

O centro de Charlotte é palco desde terça-feira de protestos por causa da morte de Keith Lamont Scott, um afroamericano de 43 anos atingido mortalmente pela polícia.

As autoridades divulgaram os vídeos das câmaras dos agentes envolvidos, em que se vê Scott a ser abatido, mas as imagens não permitem esclarecer se o homem estava armado, como argumenta a polícia.

Os familiares da vítima negam que Scott estivesse armado.

A divulgação dos vídeos era uma das principais reivindicações dos manifestantes.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.