sicnot

Perfil

Mundo

Português raptado em Luanda libertado pela polícia

Uma operação policial das autoridades angolanas permitiu libertar dois cidadãos raptados em Luanda, um dos quais de nacionalidade portuguesa, informou esta segunda-feira à Lusa o Ministério do Interior angolano.

Sem adiantar mais informações sobre as vítimas - o segundo raptado foi referido como tendo dupla nacionalidade, cabo-verdiana e indiana - o Ministério refere numa nota enviada à Lusa que ambos tinham sido raptados "recentemente" na província de Luanda.

A operação que resultou na libertação dos raptados foi levada a cabo por agentes do Serviço de Investigação Criminal e da Polícia Nacional angolana e culminou com a detenção de três sequestradores.

"Os sequestradores envolvidos na referida ação são estrangeiros", refere a nota, acrescentando que a operação levou ainda à apreensão pela polícia de viaturas, armas de fogo e "outros objetos contundentes".

"Após a libertação dos cidadãos, o Ministro do Interior deu conforto e tendo na ocasião sublinhado o empenho do Estado angolano em tudo fazer para garantir aos cidadãos que residem ou visitem Angola a necessária segurança", refere a nota, que remete mais informações sobre este caso, pelos "órgãos competentes", para os próximos dias.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.