sicnot

Perfil

Mundo

Português raptado em Luanda libertado pela polícia

Uma operação policial das autoridades angolanas permitiu libertar dois cidadãos raptados em Luanda, um dos quais de nacionalidade portuguesa, informou esta segunda-feira à Lusa o Ministério do Interior angolano.

Sem adiantar mais informações sobre as vítimas - o segundo raptado foi referido como tendo dupla nacionalidade, cabo-verdiana e indiana - o Ministério refere numa nota enviada à Lusa que ambos tinham sido raptados "recentemente" na província de Luanda.

A operação que resultou na libertação dos raptados foi levada a cabo por agentes do Serviço de Investigação Criminal e da Polícia Nacional angolana e culminou com a detenção de três sequestradores.

"Os sequestradores envolvidos na referida ação são estrangeiros", refere a nota, acrescentando que a operação levou ainda à apreensão pela polícia de viaturas, armas de fogo e "outros objetos contundentes".

"Após a libertação dos cidadãos, o Ministro do Interior deu conforto e tendo na ocasião sublinhado o empenho do Estado angolano em tudo fazer para garantir aos cidadãos que residem ou visitem Angola a necessária segurança", refere a nota, que remete mais informações sobre este caso, pelos "órgãos competentes", para os próximos dias.

Lusa

  • Uma viagem pela Estrada Nacional 236
    2:52
  • A reconstrução depois da tragédia de Pedrógão
    2:43
  • Marcelo reúne-se na quarta-feira com Putin

    País

    O Presidente da República reúne-se na quarta-feira, em Moscovo, com o líder russo, Vladimir Putin, informou este domingo a Presidência. Marcelo Rebelo de Sousa estará na capital da Federação Russa para assistir ao jogo da seleção portuguesa na fase final do Mundial de Futebol com a equipa de Marrocos

  • Novo busto de Ronaldo foi pedido pelo Museu CR7
    2:07
  • Grécia e Macedónia assinam acordo histórico
    2:02

    Mundo

    A Grécia e a Macedónia assinaram um acordo histórico para mudar o nome da antiga República Jugoslava para República da Macedónia do Norte. Em causa está um problema diplomático entre os dois países que dificultou os planos da Macedónia em aderir à União Europeia e às Nações Unidas.