sicnot

Perfil

Mundo

Comércio internacional de pangolins proibido por convenção internacional

© Reuters Photographer / Reuter

​O comércio internacional de todas as espécies de pangolins, um mamífero ameaçado de extinção, foi proibido pelo comité da Convenção Internacional sobre o Comércio de Espécies Ameaçadas (CITES), em Joanesburgo, na África do Sul.

"O comité aceitou que todas as espécies de pangolins -- africanos e asiáticos -- sejam inscritos no anexo I" da convenção, que proíbe o comércio de espécies ameaçadas, foi divulgado hoje na conta oficial da CITES no Twitter.

Até agora, o comércio das oito espécies conhecidas deste mamífero que vive em África e no sudeste asiático era legal, mas regulamentada.

"Esta é uma grande vitória e uma rara boa notícia para uma das espécies mais ameaçadas do mundo", disse Ginette Hemley, a chefe da delegação da organização mundial de proteção da natureza WWF.

Segundo a conservacionista, "isso conclui as questões em torno da legalidade do comércio, fazendo com que o tráfico seja mais difícil", apelando aos 182 Estados-membros da Convenção a "implementar rapidamente a decisão".

A carne delicada, os ossos e os órgãos do pangolim são populares entre os chineses e vietnamitas.

Curandeiros também usam as suas escamas de queratina - o mesmo material do chifre de rinoceronte -- como componente terapêutico. Na cultura tradicional africana, o mamífero também é conhecido por afastar o mau-olhado.

A reprodução destes mamíferos é também muito difícil.

Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00
  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.

  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43