sicnot

Perfil

Mundo

Fraca afluência às urnas às primeiras horas de votação em Cabo Verde

O atual Presidente de Cabo Verde e candidato à reeleição, Jorge Carlos Fonseca (ao centro), durante uma ação de rua durante a campanha eleitoral para as eleições presidenciais em Cabo Verde, Cidade da Praia

ENEIAS RODRIGUES/ LUSA

A votação para as eleições presidenciais em Cabo Verde arrancou hoje sem registo de problemas e com fraca afluência às urnas às primeiras horas do escrutínio, que irá eleger o chefe de Estado para os próximos cinco anos.

Em três locais de voto da cidade da Praia visitados pela agência Lusa, por volta das 09:00 horas (mais duas horas em Lisboa), uma hora depois da abertura das urnas, não havia qualquer fila para votar.

A votação decorria àquela hora ao ritmo de dois a três eleitores por mesa e, entre o pessoal destacado para as secções de voto, a ideia generalizada é de que os níveis de votação estão muito abaixo dos registados nas duas eleições anteriores (legislativas em março e autárquicas em setembro).

O cansaço associado ao facto de estas serem as terceiras eleições este ano e à perspetiva de reeleição do atual Chefe de Estado poderão ser alguns dos motivos que levam as autoridades eleitorais a recear altos níveis de abstenção.

O Presidente da República interino, Jorge Santos, foi a primeira alta autoridade nacional a votar.

Jorge Santos, que substitui Jorge Carlos Fonseca por imposição legal associada à sua candidatura, votou cerca das 09:15 (mais duas horas em Lisboa) no Liceu do Palmarejo, na cidade da Praia, tendo deixado à saída um apelo para que todos os cabo-verdianos vão votar.

"Ninguém pode ficar em casa. Hoje termina um ciclo eleitoral. É o ano de todas as eleições e é o ano de um grande esforço eleitoral. Todas as instituições estiveram implicadas para que todo esse ciclo fosse um sucesso a bem do país e da democracia", disse.

"Para a nossa democracia ser mais respeitada no plano nacional e no plano internacional é fundamental que haja uma boa taxa de votação", acrescentou, reforçando o apelo para que todos os cabo-verdianos, no país ou no estrangeiro, exerçam o direito de voto.

Nas eleições presidenciais estão aptos a votar 361.206 eleitores, 314.073 registados em território nacional e 47.133 no estrangeiro.

As urnas abriram às 08:00 (10:00 em Lisboa) e encerram às 18:00 (20:00 em Lisboa).

Lusa

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Filhos tentam anular casamento de pai de 101 anos

    País

    O casamento de um homem de 101 anos com uma mulher com metade da idade, em Bragança, está a ser contestado judicialmente pelos filhos do idoso, que acusam aquela que era empregada da família de querer ser herdeira.