sicnot

Perfil

Mundo

Pentágono confirma bombardeamento contra líder da Al-Qaeda na Síria

O Departamento da Defesa dos Estados Unidos confirmou na segunda-feira o ataque contra o egípcio Abu al-Faraj al-Masri, um alto comandante da Al-Qaeda na Síria, apesar de não ter especificado se morreu.

"Forças norte-americanas levaram a cabo um ataque aéreo perto de Idlib, Síria, com o egípcio Abu al-Faraj al-Masri como alvo, um alto comandante da Al-Qaeda na Síria que tinha tido vínculos com Osama Bin Laden", informou o Pentágono em comunicado.

Segundo o comunicado, os Estados Unidos "ainda" estão a "avaliar os resultados do ataque".

"A sua morte, ao confirmar-se, pode alterar e degradar a coordenação entre os líderes da Al-Qaeda e os extremistas", acrescentou a Pentágono.

Antes de confirmar que o objetivo do bombardeamento era Al-Masri, o Departamento de Defesa norte-americano já tinha informado de um ataque, depois de circularem nas redes sociais rumores de que um alto dirigente da Jabat al-Nsra (previamente afiliada à Al-Qaeda) tinha sido morto.

Segundo essas informações, distribuídas pela Jabat Fateh al-Sham (novo nome da Jabat al-Nsra), e que incluem supostas fotos do cadáver, o clérigo egípcio morreu na província síria de Idlib.

Se se confirmar a morte de Al-Masri, cujo verdadeiro nome era Ahmed Salama Mabruk, este seria um dos mais duros golpes contra a organização islamita rebelde.

Al-Masri é considerado um dos líderes da organização na Síria e um operacional próximo do mais alto cargo da Al-Qaeda, também egípcio, Ayman al Zawahiri.

Lusa

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • Governo quer que preço da energia deixe de ser superior ao resto da Europa
    1:38

    Economia

    O preço da luz vai descer para as famílias já a partir de janeiro, o que não acontece há 17 anos. É uma descida quase simbólica, de 0,2%. Ainda assim, o secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, disse, em entrevista na SIC Notícias, que é um sinal e que, até ao final da legislatura, o Governo quer que o país deixe de praticar preços superiores à média europeia.