sicnot

Perfil

Mundo

Maioria dos bancários do Brasil voltam ao trabalho após 31 dias de greve

A maioria dos bancários do Brasil regressaram esta sexta-feira ao trabalho, após 31 dias de greve, na sequência da aprovação da proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e de acordos específicos para alguns bancos.

Segundo um levantamento da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf) feito ao final do dia de quinta-feira, apenas onze assembleias da Caixa Económica Federal ainda não aprovaram a proposta, bem como duas do Banrisul, o Banco do Estado do Rio Grande do Sul.

"Conseguimos vitórias importantes. A maior greve da história. Um número expressivo de bancários e bancárias mostrou a força da nossa unidade e da mobilização nacional. Um acordo inédito de dois anos", destacou o presidente da Contraf, Roberto von der Osten, citado num comunicado da confederação.

O mesmo responsável frisou que os bancários aderiram à greve "em mais de 13 mil agências" (num total de 22.676) durante o período, mas que, "mais uma vez, a Fenaban fez o triste papel de causar a greve e jogar a culpa nos trabalhadores".

O acordo foi alcançado na décima ronda de negociações, com a aprovação da terceira proposta apresentada pelo setor.

O acordo de dois anos prevê 8% de reajuste salarial, mais um abono de 3.500 reais (978,8 euros) este ano.

No vale-alimentação (para a compra de alimentos) o reajuste proposto é maior, de 15%, sendo de 10% no vale-refeição (para refeições em restaurantes) e no auxílio a infantário ou ama, segundo a Contraf.

"Para 2017, a Fenaban aceitou repor integralmente a inflação mais 1% de aumento real nos salários e em todas as verbas", lê-se ainda na nota.

A paralisação teve início a 06 de setembro para reivindicar um reajuste salarial de cinco por cento, além da reposição da inflação registada no ano passado (9,57%), uma maior participação dos bancários nos lucros das empresas, entre outras garantias.

A última greve nacional dos bancários no Brasil aconteceu no ano passado e durou 21 dias.

A greve mais longa do setor ocorreu em 1951, durante 69 dias.

Lusa

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.