sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 400 mortos no Haiti à passagem do furacão Matthew

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

Pelo menos 400 pessoas morreram na sequência da passagem do furacão Matthew, no início da semana, no Haiti, declarou esta sexta-feira um senador do departamento do Sul Hervé Fourcan, apresentando um balanço ainda provisório.

Em muitas zonas afetadas, os acessos são muito difíceis e as autoridades não recolheram ainda todos os dados. A proteção civil do departamento do Sul regista um balanço de 315 mortos, mas este número não inclui as localidades de Camp Perrin, Les Anglais, Coteaux e Arniquet.

Toda a parte sul do país ficou alagada sob torrentes de água e sujeita a ventos muito violentos, por vezes durante várias horas.

O país está muito vulnerável às intempéries devido à forte desflorestação.

Os ventos e as chuvas inundaram milhares de casas, danificaram escolas, destruíram plantações, empresas, estradas e pontes. Mais de 29 mil casas ficaram destruídas só no sul.

Cerca de 80% dos edifícios de Jérémie, capital do departamento de Grand'Anse (sul), com perto de 30 mil habitantes, foram arrasados, de acordo com Jean-Michel Vigreux, diretor da organização não-governamental (ONG) Care Haiti.

Mais de 21 mil pessoas foram retiradas e 350 mil precisaram de assistência, de acordo com o gabinete de coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU.

Com as inundações, as autoridades receiam um forte aumento dos casos de cólera.

Lusa

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Vidas Suspensas: Delfim 353
    29:30
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.