sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 400 mortos no Haiti à passagem do furacão Matthew

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

Pelo menos 400 pessoas morreram na sequência da passagem do furacão Matthew, no início da semana, no Haiti, declarou esta sexta-feira um senador do departamento do Sul Hervé Fourcan, apresentando um balanço ainda provisório.

Em muitas zonas afetadas, os acessos são muito difíceis e as autoridades não recolheram ainda todos os dados. A proteção civil do departamento do Sul regista um balanço de 315 mortos, mas este número não inclui as localidades de Camp Perrin, Les Anglais, Coteaux e Arniquet.

Toda a parte sul do país ficou alagada sob torrentes de água e sujeita a ventos muito violentos, por vezes durante várias horas.

O país está muito vulnerável às intempéries devido à forte desflorestação.

Os ventos e as chuvas inundaram milhares de casas, danificaram escolas, destruíram plantações, empresas, estradas e pontes. Mais de 29 mil casas ficaram destruídas só no sul.

Cerca de 80% dos edifícios de Jérémie, capital do departamento de Grand'Anse (sul), com perto de 30 mil habitantes, foram arrasados, de acordo com Jean-Michel Vigreux, diretor da organização não-governamental (ONG) Care Haiti.

Mais de 21 mil pessoas foram retiradas e 350 mil precisaram de assistência, de acordo com o gabinete de coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU.

Com as inundações, as autoridades receiam um forte aumento dos casos de cólera.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.