sicnot

Perfil

Mundo

Angola investiga mais de 30 casos suspeitos de febre-amarela em setembro

Angola registou mais "casos prováveis" de febre-amarela no mês de setembro, indica um relatório semanal da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre a evolução da epidemia, que salienta ser necessária a comprovação laboratorial dos sintomas.

De acordo com o mesmo relatório, consultado hoje pela agência Lusa, entre 05 de dezembro e 29 de setembro há registo de um total de 4.188 casos suspeitos de febre-amarela em Angola, com 373 mortos (taxa de mortalidade de 8,9%).

Contudo, recorda a OMS, apenas 884 casos suspeitos foram confirmados em laboratório, o mesmo acontecendo com os óbitos, que ascendem a 121 confirmados no mesmo período.

Segundo a OMS, nas quatro semanas de setembro as autoridades contabilizaram mais 32 casos suspeitos - muito abaixo dos mais de 100 por semana que se registavam há cerca de quatro meses -, mas que terão de ser analisados pelas autoridades angolanas, nomeadamente o historial de vacinação contra a doença, que pode provocar sintomas idênticos.

Todos os dados confirmam uma clara regressão da epidemia e o último caso oficialmente confirmado, após análises laboratoriais, foi registado a 23 de junho. Desde então, todos os casos suspeitos, em que apenas uma parte foi analisada laboratorialmente, não foram confirmados.

Até 06 de outubro, as autoridades internacionais já tinham aprovado a distribuição de 20 milhões de doses da vacina contra a febre-amarela para Angola, utilizadas em campanhas de vacinação massiva da população que arrancaram em fevereiro.

Desde o início da epidemia em Angola já foram reportados casos em todas as 18 províncias do país e casos de transmissão local da febre-amarela em 12 províncias.

A transmissão da doença é feita pela picada do mosquito (infetado) "aedes aegypti", que, segundo a OMS, no início desta epidemia estava presente em algumas zonas de Viana, Luanda, em 100% das casas, município em que se registaram os primeiros casos.

Trata-se do mesmo mosquito responsável pela transmissão da malária, a principal causa de morte em Angola, e que se reproduz em águas paradas e na concentração de lixo, dois problemas (época das chuvas e falta de limpeza de resíduos) que afetaram a capital angolana entre 2015 e 2016.

A epidemia alastrou para a vizinha República Democrática do Congo (RDCongo), com 2.870 casos suspeitos, em todas as 26 províncias do país, entre 01 de janeiro e 05 de outubro. No total, a OMS refere que foram laboratorialmente confirmados, neste período, 76 casos, dos quais pelo menos 57 comprovadamente importados de Angola.

A epidemia já matou 120 pessoas - casos suspeitos - na RDCongo, ainda segundo a OMS.

Em conjunto com a OMS, as autoridades de saúde dos dois países ainda têm em curso campanhas de vacinação contra a doença.

Lusa

  • Centro comercial em Manchester evacuado

    Mundo

    Um centro comercial foi evacuado esta manhã, no centro de Manchester. Testemunhas dizem ter ouvido um "grande estrondo". O incidente acontece horas depois do ataque na Manchester Arena, no final da atuação da cantora Ariana Grande, no qual morreram pelo menos 22 pessoas. O espaço comercial em Manchester foi entretanto reaberto. A polícia começou a retirar o cordão de segurança, pouco tempo depois de ser dado o alerta. Uma pessoa foi detida.

  • Dois em cada três idosos em Portugal são sedentários

    País

    É a camada da população mais inativa e com comportamentos que revelam um estilo de vida menos saudável, segundo um estudo divulgado hoje, que analisou os dados de mais de 10.600 portugueses representativos da população, entre os quais mais de 2.300 pessoas com mais de 65 anos.

  • "Michel Temer nunca teve vergonha, não tem cara de pessoa de bem"
    3:04

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou no habitual espaço de comentário do Jornal da Noite  da SIC, o escândalo com o Presidente do Brasil, Michael Temer. O comentador diz que já era previsível que Temer fosse apanhado com "o pé na poça" e afirma que o Presidente brasileiro nunca teve qualquer tipo de vergonha. Miguel Sousa Tavares fez ainda referência ao facto de Dilma Rousseff ser, entre todos os políticos brasileiros, a única que não tem processos contra ela.

    Miguel Sousa Tavares

  • Julgamento do caso BPN deverá terminar quarta-feira
    4:38

    Economia

    O acórdão do processo principal do BPN vai ser tornado público esta quarta-feira, depois de quase sete anos de audições. O rosto principal é o de José Oliveira Costa mas há outros 14 arguidos sentados no banco dos réus.