sicnot

Perfil

Mundo

Irão pede abertura de corredor aéreo para ajudar vítimas de ataque no Iémen

O Irão pediu este domingo a abertura de "um corredor aéreo seguro para levar ajuda humanitária de urgência" às vítimas do bombardeamento aéreo no Iémen que, no sábado, matou mais de 140 pessoas que estavam numa cerimónia fúnebre.

O bombardeamento atingiu um espaço público na capital Sanaa, controlada pelos rebeldes 'huthis' e aliados, e onde se tinham juntado centenas de pessoas para o funeral do pai do ministro do Interior, Jalal al-Rouichène, indicou a Sabanews.net.

O porta-voz do Ministério iraniano dos Negócios Estrangeiros, Bahram Qasemí, disse que o "Irão está disposto a enviar ajuda humanitária, incluindo pessoal médico, comida e medicamentos para as vítimas".

A mesma fonte disse que o país está, também, disponível para transportar os feridos para serem tratados nos hospitais iranianos.

Momentos depois do ataque, os rebeldes 'huthis' acusaram a coligação militar árabe que intervém no Iémen sob comando da Arábia Saudita, que posteriormente negou qualquer envolvimento nos 'raides' aéreos, referindo que, no passado, "evitou semelhantes ajuntamentos, que nunca foram o alvo" das suas operações militares.

No entanto, a coligação dirigida pelos sauditas e que intervém no Iémen desde março de 2015 em apoio às forças do presidente Abdrabuh Mansur Hadi, tem sido acusada por organizações de defesa dos direitos humanos de sistemáticos ataques a alvos civis no decurso da sua campanha aérea.

Segundo a ONU, mais de 6.700 pessoas, na maioria civis, já foram mortas no Iémen desde o início da intervenção da coligação dirigida pelos sauditas.

Lusa

  • Mais de 140 mortos em bombardeamento no Iémen
    0:50

    Mundo

    Um ataque aéreo na capital do Iémen provocou mais de 140 mortos e mais de 500 feridos. A ofensiva decorreu durante o funeral de um familiar do Ministro do Interior do país, onde diversas personalidades locais e militares participavam nas cerimónias funebres.

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.