sicnot

Perfil

Mundo

Irão pede abertura de corredor aéreo para ajudar vítimas de ataque no Iémen

O Irão pediu este domingo a abertura de "um corredor aéreo seguro para levar ajuda humanitária de urgência" às vítimas do bombardeamento aéreo no Iémen que, no sábado, matou mais de 140 pessoas que estavam numa cerimónia fúnebre.

O bombardeamento atingiu um espaço público na capital Sanaa, controlada pelos rebeldes 'huthis' e aliados, e onde se tinham juntado centenas de pessoas para o funeral do pai do ministro do Interior, Jalal al-Rouichène, indicou a Sabanews.net.

O porta-voz do Ministério iraniano dos Negócios Estrangeiros, Bahram Qasemí, disse que o "Irão está disposto a enviar ajuda humanitária, incluindo pessoal médico, comida e medicamentos para as vítimas".

A mesma fonte disse que o país está, também, disponível para transportar os feridos para serem tratados nos hospitais iranianos.

Momentos depois do ataque, os rebeldes 'huthis' acusaram a coligação militar árabe que intervém no Iémen sob comando da Arábia Saudita, que posteriormente negou qualquer envolvimento nos 'raides' aéreos, referindo que, no passado, "evitou semelhantes ajuntamentos, que nunca foram o alvo" das suas operações militares.

No entanto, a coligação dirigida pelos sauditas e que intervém no Iémen desde março de 2015 em apoio às forças do presidente Abdrabuh Mansur Hadi, tem sido acusada por organizações de defesa dos direitos humanos de sistemáticos ataques a alvos civis no decurso da sua campanha aérea.

Segundo a ONU, mais de 6.700 pessoas, na maioria civis, já foram mortas no Iémen desde o início da intervenção da coligação dirigida pelos sauditas.

Lusa

  • Mais de 140 mortos em bombardeamento no Iémen
    0:50

    Mundo

    Um ataque aéreo na capital do Iémen provocou mais de 140 mortos e mais de 500 feridos. A ofensiva decorreu durante o funeral de um familiar do Ministro do Interior do país, onde diversas personalidades locais e militares participavam nas cerimónias funebres.

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.