sicnot

Perfil

Mundo

França incomodada com futura visita de Putin a Paris

A próxima visita do Presidente russo a França, anunciada por Moscovo, parece cada vez mais problemática para Paris, que fustiga os "crimes de guerra" cometidos em Alepo, cidade síria esmagada pelas bombas russa e do regime de Damasco.

"Ainda me pergunto" se se deve receber Vladimir Putin, reconheceu hoje à noite o Presidente francês, François Hollande, durante uma entrevista na cadeia televisiva TMC.

"Será útil? Será necessário?", questionou-se o chefe de Estado, resumindo o dilema com que a França se confronta, desde logo para denunciar o horror em curso em Alepo, mas desejosa de salvaguardar as ligações com o seu "parceiro" russo.

A visita de Putin, prevista para 19 de outubro, é antes de tudo privada e nunca foi anunciada pelo Kremlin e ainda menos pelo Eliseu, mas foi revelada durante a primavera pelo embaixador russo em Paris.

Putin vai inaugurar "um centro espiritual e cultural ortodoxo russo", um edifício imponente com cúpulas douradas nas margens do Sena, que alberga uma igreja, uma escola e os serviços culturais da embaixada.

Aproveitando a presença em Moscovo do seu homólogo francês, Jean-Marc Ayrault, que foi a Moscovo na sexta-feira para reclamar um cessar-fogo em Alepo, o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, revelou, mesmo antes da conferência de imprensa comum, que Putin se iria reunir com Hollande e discutir as crises na Síria e Ucrânia.

Embaraçadas, as autoridades francesas não confirmaram nem a visita, nem a data.

Com a visita anunciada de Putin, "Paris está confrontada com uma situação extremamente delicada", considerou Thomas Gomart, diretor do Instituto Francês de Relações Internacionais.

Se é complicado em termos de imagem ver o presidente russo "inaugurar um local de culto enquanto as suas forças armadas bombardeiam Alepo", a visita tem também uma "simbologia pesada", destacou o analista.

"A sua visita seria uma espécie de apoteose para a diplomacia russa, que quer apresentar Putin como um ator importante, central inclusive, na cena internacional", acrescentou Gomart.

Lusa

  • Marinha e Exército dão luz verde ao Aeroporto do Montijo

    País

    De acordo com a edição deste domingo do Diário de Notícias, o Exército e a Marinha já comunicaram à Força Aérea disponibilidade para desocupar parcialmente a base aérea e o Montijo se transformar num num aeroporto complementar ao de Lisboa.

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.