sicnot

Perfil

Mundo

França incomodada com futura visita de Putin a Paris

A próxima visita do Presidente russo a França, anunciada por Moscovo, parece cada vez mais problemática para Paris, que fustiga os "crimes de guerra" cometidos em Alepo, cidade síria esmagada pelas bombas russa e do regime de Damasco.

"Ainda me pergunto" se se deve receber Vladimir Putin, reconheceu hoje à noite o Presidente francês, François Hollande, durante uma entrevista na cadeia televisiva TMC.

"Será útil? Será necessário?", questionou-se o chefe de Estado, resumindo o dilema com que a França se confronta, desde logo para denunciar o horror em curso em Alepo, mas desejosa de salvaguardar as ligações com o seu "parceiro" russo.

A visita de Putin, prevista para 19 de outubro, é antes de tudo privada e nunca foi anunciada pelo Kremlin e ainda menos pelo Eliseu, mas foi revelada durante a primavera pelo embaixador russo em Paris.

Putin vai inaugurar "um centro espiritual e cultural ortodoxo russo", um edifício imponente com cúpulas douradas nas margens do Sena, que alberga uma igreja, uma escola e os serviços culturais da embaixada.

Aproveitando a presença em Moscovo do seu homólogo francês, Jean-Marc Ayrault, que foi a Moscovo na sexta-feira para reclamar um cessar-fogo em Alepo, o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, revelou, mesmo antes da conferência de imprensa comum, que Putin se iria reunir com Hollande e discutir as crises na Síria e Ucrânia.

Embaraçadas, as autoridades francesas não confirmaram nem a visita, nem a data.

Com a visita anunciada de Putin, "Paris está confrontada com uma situação extremamente delicada", considerou Thomas Gomart, diretor do Instituto Francês de Relações Internacionais.

Se é complicado em termos de imagem ver o presidente russo "inaugurar um local de culto enquanto as suas forças armadas bombardeiam Alepo", a visita tem também uma "simbologia pesada", destacou o analista.

"A sua visita seria uma espécie de apoteose para a diplomacia russa, que quer apresentar Putin como um ator importante, central inclusive, na cena internacional", acrescentou Gomart.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52