sicnot

Perfil

Mundo

Ativistas da Turquia, da Crimeia e Yazidis finalistas ao prémio Sakharov 2016

Jornalista turco Can Dündar

© Osman Orsal / Reuters

Um defensor da liberdade de expressão na Turquia, um líder tártaro da Crimeia e duas defensoras dos direitos das mulheres escravizadas pelo Daesh são os finalistas ao prémio Sakharov, anualmente atribuído pelo Parlamento Europeu (PE).

O jornalista turco Can Dündar foi detido em novembro, depois do jornal que dirige ter noticiado o alegado contrabando de armas dos serviços de informações do país para rebeldes na Síria.

Dündar foi condenado a cinco anos e dez meses de cadeia por "revelar segredos de Estado" e sobreviveu a uma tentativa de assassínio, vivendo agora no exílio.

Mustafa Dzhemilev, líder tártaro na Crimeia (território ucraniano anexado pela Rússia), defende os direitos humanos e das minorias há mais de 50 anos.

Nadia Murad Basee e Lamiya Aji Bashar, foram escolhidas pelos esforços na defesa da comunidade Yazidi e das mulheres que sobrevivem à escravidão sexual às mãos dos jihadistas do Daesh.

Ambas são oriundas de Kocho, uma aldeia iraquiana que foi tomada pelo Daesh em 2014, com centenas de mulheres e raparigas Yazidis a serem raptadas e escravizadas sexualmente pela organização extremista.

O vencedor será anunciado em 27 de outubro e o prémio será entregue, em Estrasburgo, França, em 14 de dezembro, durante uma sessão plenária do PE.

O Prémio Sakharov da liberdade de pensamento, no valor de 50 mil euros, foi entregue em 2015, ao blogger saudita Raif Badawi que cumpre uma pena de dez anos de prisão por "insultos ao Islão".

Nelson Mandela e o dissidente soviético Anatoly Marchenko (a título póstumo) foram os primeiros galardoados, em 1988.

Em 1999, o galardão foi entregue a Xanana Gusmão (Timor-Leste) e, em 2001, ao bispo Zacarias Kamwenho (Angola).

Com Lusa

  • Curiosidades sobre o Mundial da Rússia
    3:08
  • Inocência e talento marcaram o 9.º dia de Mundial
    0:56
  • Ronaldo no País dos Sovietes: Algumas curiosidades
    1:54
  • O choro intenso de Neymar explicado pelo próprio
    0:51
  • A queda aparatosa do selecionador do Brasil
    0:05
  • Dia de limpezas em Chaves após violenta tempestade
    2:44
  • Athanasia, uma mulher sem medo das alturas
    0:35

    Mundo

    É grega, chama-se Athanasia Athineau, tem 29 anos e pertence à unidade de forças especiais da Grécia. O salto que podemos ver é de 10 mil pés, mas Athanasia faz também saltos de 30 mil. Neste caso, caíu a uma velocidade de 250 quilómetros por hora antes de abrir o pára-quedas.

  • Talheres de Hitler vendidos por 14 mil euros

    Mundo

    Um conjunto de duas facas, três colheres e três garfos de prata, que pertencia a Adolf Hitler, foi vendido em Dorset, Inglaterra, pelo valor de 12.500 libras (aproximadamente 14.200 euros). O serviço de talheres foi criado no âmbito das celebrações do 50.º aniversário do ditador nazi.

    SIC