sicnot

Perfil

Mundo

Israel barra entrada a palestinianos em antecipação ao feriado do Yom Kippur

© Baz Ratner / Reuters

As autoridades israelitas bloquearam o acesso de palestinianos a Israel, a partir dos territórios ocupados da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, em antecipação ao feriado judaico do Yom Kippur, que começa hoje à noite.

Este tipo de medida costuma ser aplicada durante os mais importantes feriados judaicos, mas as forças de segurança israelitas estão num estado especial de prontidão devido a um ataque armado palestiniano em Jerusalém, no passado domingo, que vitimou duas pessoas.

Milhares de judeus visitam o Muro das Lamentações, na Cidade Velha de Jerusalém, durante o Yom Kippur (Dia do Perdão), que termina na noite de quarta-feira. Nos feriados judaicos a celebração de um dia religioso começa no pôr-do-sol do dia anterior.

O fecho da fronteira, que estará em vigor hoje e quarta-feira, aplica-se apenas a palestinianos e não aos cerca de 400 mil colonos israelitas que vivem na Cisjordânia

A Faixa de Gaza está permanentemente sob bloqueio de Israel, ainda que as autoridades autorizem a passagem excecional de pessoas por motivos de trabalho ou por questões médicas.

Os casos de urgência médica ou humanitária serão autorizados a passar mesmo durante o feriado, anunciou o exército israelita.

Mais de 3 mil polícias serão mobilizados para Jerusalém durante o Yom Kippur.

Entretanto, o exército de Israel anunciou ter demolido a casa de um palestiniano na Cisjordânia depois de este ter sido condenado a prisão perpétua pelo assassínio de um casal israelita, em frente aos filhos, há um ano.

A casa de Amjad Aliwi, um apartamento na cidade de Nablus, foi destruída com explosivos durante a noite.

O exército israelita indicou que Aliwi formava parte de uma célula do Hamas responsável pelo planeamento e execução do ataque de 01 de outubro do ano passado, contra um casal de colonos da Cisjordânia.

O assassínio do casal marcou o início de uma onda de ataques armados de palestinianos que dura há mais de um ano.

Lusa

  • Younes Abouyaaqoub, o homem mais procurado de Espanha
    1:53
  • Vila de Gavião viu-se cercada pelas chamas
    2:17
  • Costa desafia PSD para pacto depois das autárquicas
    1:14
  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22