sicnot

Perfil

Mundo

Israel barra entrada a palestinianos em antecipação ao feriado do Yom Kippur

© Baz Ratner / Reuters

As autoridades israelitas bloquearam o acesso de palestinianos a Israel, a partir dos territórios ocupados da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, em antecipação ao feriado judaico do Yom Kippur, que começa hoje à noite.

Este tipo de medida costuma ser aplicada durante os mais importantes feriados judaicos, mas as forças de segurança israelitas estão num estado especial de prontidão devido a um ataque armado palestiniano em Jerusalém, no passado domingo, que vitimou duas pessoas.

Milhares de judeus visitam o Muro das Lamentações, na Cidade Velha de Jerusalém, durante o Yom Kippur (Dia do Perdão), que termina na noite de quarta-feira. Nos feriados judaicos a celebração de um dia religioso começa no pôr-do-sol do dia anterior.

O fecho da fronteira, que estará em vigor hoje e quarta-feira, aplica-se apenas a palestinianos e não aos cerca de 400 mil colonos israelitas que vivem na Cisjordânia

A Faixa de Gaza está permanentemente sob bloqueio de Israel, ainda que as autoridades autorizem a passagem excecional de pessoas por motivos de trabalho ou por questões médicas.

Os casos de urgência médica ou humanitária serão autorizados a passar mesmo durante o feriado, anunciou o exército israelita.

Mais de 3 mil polícias serão mobilizados para Jerusalém durante o Yom Kippur.

Entretanto, o exército de Israel anunciou ter demolido a casa de um palestiniano na Cisjordânia depois de este ter sido condenado a prisão perpétua pelo assassínio de um casal israelita, em frente aos filhos, há um ano.

A casa de Amjad Aliwi, um apartamento na cidade de Nablus, foi destruída com explosivos durante a noite.

O exército israelita indicou que Aliwi formava parte de uma célula do Hamas responsável pelo planeamento e execução do ataque de 01 de outubro do ano passado, contra um casal de colonos da Cisjordânia.

O assassínio do casal marcou o início de uma onda de ataques armados de palestinianos que dura há mais de um ano.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.