sicnot

Perfil

Mundo

Putin acusa França de inflamar situação da Síria para isolar a Rússia

(Arquivo)

© Sputnik Photo Agency / Reuter

O Presidente russo, Vladimir Putin, acusou hoje a França de agravar a situação internacional ao apresentar no Conselho de Segurança da ONU uma resolução sobre a Síria que sabia que a Rússia ia vetar.

"Apresentaram a resolução sabendo que não ia passar, [fizeram-no] para incitar um veto", disse Putin numa conferência em Moscovo.

"Porquê? Para inflamar a situação e aumentar a histeria em relação à Rússia", acrescentou.

O Presidente russo acusou mesmo o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Marc Ayrault, de não cumprir as promessas que fez quando visitou Moscovo na semana passada, ignorar as propostas russas para a resolução e "culpar a Rússia de todos os pecados mortais" na Síria.

Putin sugeriu que, com esta atitude, França "fez o jogo" dos Estados Unidos, que precisam da histeria em relação à Rússia russa na campanha presidencial: "Isto é especialmente valioso nas condições da campanha pré-eleitoral", disse.

"Não sei se corresponde aos interesses dos países europeus, mas servir a política externa, ou mesmo o interesse político interno de um aliado, neste caso os Estados Unidos, será esse o papel de um Estado sério que se gaba de ter uma política externa independente e se considera um grande país?", questionou.

A tensão diplomática criada pelo veto russo à resolução pedindo a suspensão de bombardeamentos a Alepo apresentada no sábado por Paris culminou na terça-feira com o cancelamento de uma visita de Vladimir Putin a Paris há muito prevista.

Lusa

  • Hollande explica divergências na origem do cancelamento da visita de Putin
    0:51

    Mundo

    Vladimir Putin cancelou a deslocação a França na próxima semana. A visita era sobretudo de carácter mais privado e voltada para a comunidade russa, mas a presidência francesa fez saber que François Hollande apenas receberia o líder russo para uma reunião sobre a Síria. Divergências quanto à posição de ambos os países no conflito levaram entretanto o Presidente francês a anunciar que Putin adiou a visita e a explicar os motivos de divergência com a Rússia.

  • Alianças do PS marcam discursos no Congresso do PS
    2:51
  • Souto de Moura feliz com distinção na Bienal de Arquitetura de Veneza
    1:10
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos. Depois de um curso intensivo de português durante três meses, os jovens vão iniciar o ano letivo em vários pontos do país.