sicnot

Perfil

Mundo

UNICEF vai vacinar 41 milhões de crianças na região da Nigéria contra a poliomielite

A UNICEF está a realizar uma campanha de imunização contra a poliomielite na região da bacia do Lago Chade, em que vacinará mais de 41 milhões de crianças para combater o recente surto da doença no nordeste da Nigéria.

Em comunicado divulgado esta quarta-feia, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) explicou que a situação naquela região é preocupante devido ao grande número de pessoas (2,6 milhões) que se deslocam por causa do conflito, o que aumenta o risco de propagação do vírus.

A campanha de vacinação permitirá igualmente identificar casos de subnutrição aguda severa, refere o documento.

"As populações em fuga ao conflito estão em movimento dentro desta sub-região, aumentando as preocupações de que o vírus possa propagar-se para além das fronteiras", lê-se no comunicado.

Segundo a organização, há quase 39.000 profissionais de saúde destacados na Nigéria e nos países vizinhos -- Chade, Níger, Camarões e República Centro-Africana -- para distribuir vacinas em zonas de elevado risco de propagação do vírus, durante cinco rondas coordenadas desta campanha de vacinação em cinco países.

A UNICEF está a fornecer as vacinas e a sensibilizar o público através de campanhas maciças na comunicação social e de iniciativas de mobilização das populações.

"O reaparecimento da poliomielite, depois de dois anos sem casos registados, é uma grande preocupação numa zona que já se encontrava no meio de uma crise," afirmou Manuel Fontaine, Diretor Regional da UNICEF para a África Central e Ocidental.

"A escala da nossa resposta reflete essa mesma urgência: não podemos permitir que a pólio se propague", vincou.

A agência especializada da ONU indicou que "o atual conflito já levou à deslocação de 2,6 milhões de pessoas, dizimou serviços de saúde e deixou mais de quatro milhões de pessoas no nordeste da Nigéria afetadas por esta crise e por níveis de emergência de insegurança alimentar".

"Nos três estados mais gravemente afetados, 400.000 crianças irão sofrer de subnutrição aguda severa durante este ano", sublinhou.

Em algumas zonas de Borno, as equipas de vacinação estão a efetuar um rastreio simultâneo para identificar casos de subnutrição aguda severa em crianças menores de cinco anos e encaminhá-las para programas de tratamento.

As conclusões das primeiras rondas deste rastreamento confirmaram taxas elevadas de subnutrição aguda severa, segundo a UNICEF.

"Há crianças a morrer e vão perder-se vidas muito jovens se não aumentarmos a nossa resposta," alertou Manuel Fontaine.

"Através da iniciativa de vacinação contra a pólio, podemos proteger mais crianças do vírus e, ao mesmo tempo, estamos também a chegar a crianças que precisam de tratamento para a má nutrição", referiu o responsável.

A terceira ronda da atual campanha de vacinação decorre entre 15 e 18 de outubro, e já estão agendadas novas rondas para novembro e dezembro próximos.

A campanha de imunização contra a poliomielite está a ser levada a cabo pelos Governos nacionais com o apoio da UNICEF, da Organização Mundial da Saúde, da Rotary Internacional, dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos e da Fundação Bill & Melinda Gates.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59