sicnot

Perfil

Mundo

Governos pedem cada vez mais informação à Google sobre contas dos utilizadores

A Google anunciou na quarta-feira que as solicitações de informação por vários governos atingiram um recorde no semestre terminado em junho, no seguimento de um crescimento sustentado.

Os 44.943 pedidos representaram um aumento de 10% em relação aos seis meses anteriores e uma quarta subida consecutiva, adiantou a empresa no seu "relatório de transparência".

Os pedidos oficiais respeitaram a 76.713 contas de utilizadores no último período, uma diminuição face às 81.311 visadas no segundo semestre de 2015.

A Google deu alguma da informação solicitada, pelo menos em 64% dos pedidos feitos em 2016, percentagem que se manteve sem variação em relação ao anterior período reportado.

O número de solicitações ao Google tem estado a aumentar desde que a empresa começou a divulgar informações sobre transparência, em 2011.

Este conglomerado de grande dimensão garante, à semelhança de outras empresas do setor, que protege a privacidade do utilizador, quando coopera com pedidos legais feitos pelas polícias ou outras agências oficiais.

"Tal como já informámos, quando recebemos um pedido de informação sobre um utilizador, revemo-lo cuidadosamente e só fornecemos a informação dentro das dimensão e da autoridade do requisitante", afirmou, numa mensagem colocada num blogue, o diretor do departamento jurídico da Google, Richard Salgado.

No último relatório, os EUA apresentaram o maior número de pedidos - 14.169 -, dos foram satisfeitos 79%.

A Alemanha surgiu em segundo lugar, com 8.788 solicitações, seguida por França (4.300), Índia (3.452) e Reino Unido (3.302).

A Google adiantou que no período em apreço recebeu os primeiros pedidos de Argélia, Bielorrússia, Ilhas Caimão, El Salvador, Fidji e Arábia Saudita. Todos estes pedidos tiveram uma resposta negativa, garantiu a empresa, segundo o relatório.

Lusa

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.