sicnot

Perfil

Mundo

Presidente e Governo franceses saúdam nomeação de Guterres

O Presidente francês, François Hollande, felicitou hoje António Guterres pela nomeação como secretário-geral das Nações Unidas, considerando que estará "plenamente à altura" dos desafios que o mundo enfrenta, como o terrorismo, alterações climáticas e tragédias humanitárias.

Numa mensagem enviada à agência Lusa pelo Palácio do Eliseu, Hollande felicita "calorosamente" António Guterres, que foi hoje escolhido com aclamação como secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

França é um dos cinco países com assento permanente no Conselho de Segurança, e portanto com direito de veto. Na semana passada, este órgão recomendou o nome de António Guterres à Assembleia Geral das Nações Unidas, que hoje aprovou a nomeação do sucessor de Ban Ki-moon.

No momento atual, marcado por "crises, terrorismo, urgência climática, tragédias humanitárias", o mundo necessita, mais que nunca, que as Nações Unidas sejam "fortes, eficazes e unidas à volta dos objetivos da paz, da segurança, de desenvolvimento e de defesa dos direitos humanos que presidiram à sua criação", sustenta o chefe de Estado francês.

O Presidente francês afirma-se convicto que António Guterres estará "plenamente à altura destes problemas", destacando que é um homem "de compromisso, de convicção e de ação" que sempre marcou o seu desempenho, quer como primeiro-ministro de Portugal quer como alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, pelo seu "humanismo, apego aos valores fundamentais, capacidade de definir um rumo, de dirigir e reformar".

Hollande saúda também a escolha de "um amigo da língua francesa" e que estará disponível para manter a francofonia no seio da organização.

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros e do Desenvolvimento Internacional francês, Jean-Marc Ayrault, endereçou as "mais calorosas felicitações" a António Guterres pela sua escolha, "no final de um processo de seleção transparente", durante o qual os candidatos ao cargo apresentaram aos Estados-membros e à sociedade civil a sua visão para as Nações Unidas.

"Num contexto internacional particularmente agitado, a França regozija-se por ver nestas funções, a partir de 01 de janeiro de 2017, uma personalidade de percurso excecional por quem tem a maior estima", sustentou o chefe da diplomacia francesa.

Para o executivo francês, "a experiência reconhecida" de Guterres permitirá enfrentar os "numerosos desafios a que as Nações Unidas devem fazer face".

Ayrault saúda ainda Ban Ki-moon, que no final do ano concluirá o segundo mandato, num total de dez anos, como secretário-geral da ONU, destacando o seu trabalho "incansável em prol da paz". O ministro francês expressou ainda votos de que a reforma da ONU que Ban iniciou possa ser prosseguida.

Presidente e Governo franceses declaram que Guterres contará com o total apoio de França no seu mandato à frente das Nações Unidas.

Lusa

  • Guterres promete ser um mediador ao serviço de todos
    1:44

    Guterres na ONU

    No primeiro discurso na Assembleia-geral da ONU, após aclamação como 9.º secretário-geral das Nações Unidas, que iniciará funções em 1 de janeiro de 2017, António Guterres prometeu ser um mediador, trabalhar ao serviço de todos e proteger as mulheres e os mais fracos.

  • O que foi dito sobre António Guterres

    Guterres na ONU

    António Guterres foi aclamado esta quinta-feira secretário-geral da ONU. A agência Lusa reuniu uma série de citações sobre a escolha do antigo primeiro-ministro português para o mais alto cargo das Nações Unida. Conheça aqui o que foi dito sobre António Guterres.

  • Os principais momentos da escolha de Guterres para secretário-geral

    Guterres na ONU

    O antigo primeiro-ministro português António Guterres foi confirmado esta quinta-feira como secretário-geral da ONU, concluindo um processo de seleção considerado como o mais transparente da história das Nações Unidas. O antigo Alto-Comissário das Nações Unidas para os Refugiados venceu todas as votações realizadas pelo Conselho de Segurança, apesar de vários dirigentes políticos defenderem uma mulher da Europa de Leste para o cargo. Conheça aqui alguns dos principais momentos do processo de escolha do novo secretário-geral da ONU.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06