sicnot

Perfil

Mundo

Jadon e Anias, a história de uma separação feliz

As duas crianças partilhavam uma veia sanguínea e algum tecido cerebral, uma situação que acontece, em média, uma vez a cada 10 milhões de nascimentos.

Facebook

Dois irmãos gémeos siameses norte-americanos, que viveram durante 13 meses unidos pelas cabeças, foram esta sexta-feira separados numa operação que durou várias horas mas terminou com sucesso.

Jadon e Anias Mcdonald nasceram unidos pelas cabeças em setembro de 2015. Uma união física indesejada, que terminou graças aos esforços de uma das equipas de cirurgia do hospital pediátrico do Centro Médico de Montefiore, no Bronx.

A operação de separação durou mais de 16 horas e foi seguida por cirurgias de reconstrução dos crânios.

As duas crianças partilhavam uma veia sanguínea e algum tecido cerebral, uma situação que acontece, em média, uma vez a cada 10 milhões de nascimentos.

Apesar dos riscos de potenciais doenças ou deficiências mentais, os dois irmãos estão saudáveis e vão agora ficar entubados pelo menos durante uma semana. Seguem-se meses de recuperação e adaptação a uma nova realidade.

A operação, que custou cerca de 2,5 milhões de dólares, foi financiada pela seguradora e, numa ação de crowdfunding, uma página dedicada ao caso dos gémeos conseguiu angariar mais de 170 mil dólares para apoiar a família.

  • Jovens adoptados e filha do líder da IURD com versões diferentes dos acontecimentos
    4:06

    País

    Os jovens adoptados e a filha do bispo Edir Macedo, que alegadamente os adoptou, têm versões diferentes sobre o que aconteceu. Vera e Luís Katz garantem que foram adoptados por uma família norte-americana, com que viveram até aos 20 anos. Viviane Freitas, filha do líder da Igreja Universal do Reino de Deus, conta que foi mãe das crianças durante três anos, apesar de lhe ter sido negada a adopção.

  • Cabecilha da seita Verdade Celestial é "mentiroso, egocêntrico e psicótico"
    2:22

    País

    O cabecilha da seita "Verdade Celestial" foi condenado a 23 anos de pena de prisão por abusos sexuais de crianças e adolescentes. O juiz diz que o cabecilha do grupo era mentiroso patológico, egocêntrico, impulsivo e com personalidade psicótica. Dos oito acusados, duas mulheres foram absolvidas e seis arguidos foram condenados a penas efectivas. A rede de abusadores foi desmantelada há dois anos, numa quinta de Palmela.

  • Mau tempo obriga ao cancelamento de centenas de voos na Europa
    1:21