sicnot

Perfil

Mundo

O polémico futuro rei da Tailândia

No poder há 70 anos, o rei Bhumibol Adulyadej era adorado pelos tailandeses. A sua morte arrasou a Tailândia, deixando o país perante um futuro de incertezas. Na sucessão ao trono está o filho mais velho, Maha Vajiralongkorn. A questão que fica é apenas uma: quem é realmente o herdeiro ao trono tailandês? Por entre casamentos falhados e um cão condecorado, conheça aqui o possível futuro rei da Tailândia.

Maha Vajiralongkorn

Maha Vajiralongkorn

© Chaiwat Subprasom / Reuters

Maha Vajiralongkorn tem 64 anos e é conhecido pela rebeldia, pelos inúmeros casos amorosos e por ser violento com as mulheres. Contrariamente ao pai, que sempre foi elogiado pelos tailandeses pelo seu comportamento exemplar e a sensatez.

Recentemente, o herdeiro ao trono foi fotografado no aeroporto de Munique com um top - enrolado de maneira a mostrar a barriga - que deixava a descoberto várias tatuagens falsas, assim como envergava umas calças de ganga de cintura baixa. Se não fosse a situação em que se inseria, com todo um contingente de militares e segurança à sua volta, Maha Vajiralongkorn poderia passar por mais um turista com gostos diferentes.

Uma das notícias que mais deu que falar sobre o possível futuro rei foi a nomeação do seu cão - um caniche chamado Foo Foo - como tenente-general da Força Aérea e de o levar a receções oficiais fardado a rigor.

Grande parte das histórias de Vajiralongkorn são desconhecidas, porque existe uma lei que proíbe a difamação da realeza nos meios sociais. Do pouco que vem a público, sabe-se que o primeiro casamento acabou porque tinha uma amante, com quem tinha cinco filhos.

Casou-se com a amante, a princesa Srirasmi, com quem este durante 13 anos. Contudo, o segundo casamento também não resultou, e o príncipe acabou por expulsa-la do país e condenar os pais da mulher a dois anos e meio de prisão por "difamação à família real."

© Adrees Latif / Reuters

O príncipe - divorciado duas vezes - pode vir a tornar-se no chefe constitucional de um país polarizado, que tem vindo a enfrentar uma série de golpes de Estado, protestos e violência.

O filho do rei pediu esta quinta-feira algum tempo antes de aceitar a sucessão ao trono. O facto é que Vajiralongkorn ainda não alcançou nem metade da popularidade do pai e, ao contrário do rei adorado, nem todos os tailandeses têm a certeza que este pode vir a tornar-se num elemento unificador do país.

Durante muitos anos, o príncipe teve de assumir várias funções oficiais perante a ausência do pai, mas nunca apoiando politicamente nenhuma das partes em disputa no país. Segundo os especialistas, a agitação política na Tailândia deve-se às preocupações entre as elites, que competem por um lugar no futuro do reino.

© Pring Samrang / Reuters

A princesa Maha Chakri Sirindhorn - filha mais nova do rei Bhumibol Adulyadej - talvez fosse a escolha dos tailandeses, no entanto as leis no país proíbem que uma mulher suba ao trono.

  • Morreu o rei da Tailândia

    Mundo

    O rei da Tailândia, Bhumibol Adulyadej, morreu hoje aos 88 anos, anunciou o palácio real, num culminar de uma série de problemas de saúde que se arrastavam há quase um ano.

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Obama encurta pena de delatora do Wikileaks
    1:45
  • Putin sai em defesa de Trump
    2:29

    Mundo

    Vladimir Putin já saiu em defesa de Donald Trump e diz que houve uma tentativa de minar o Presidente eleito dos Estados Unidos, através de um alegado relatório, atribuido à espionagem russa. Putin diz que o relatório é falso.