sicnot

Perfil

Mundo

Corpo humano adapta-se a altitudes elevadas quase de imediato

reuters

O corpo humano começa a adaptar-se à altitude quase imediatamente. É a conclusão de um novo estudo, que vem deitar por terra a anterior teoria de que os humanos que vivem em altitudes elevadas produzem células vermelhas com mais capacidade de oxigenar os músculos do que aqueles que permanecem em locais mais baixos.

Publicada na revista Science, a investigação conclui que o corpo humano começa a adaptar-se a ambientes de elevada altitude numa questão de horas, e que as alterações biológicas produzidas podem durar meses, mesmo quando o indivíduo já está numa altitude mais baixa.

Pela primeira vez, os cientistas que estudam o sangue de atletas de escalada observaram como é que múltiplas alterações afetam a capacidade das células de reter oxigénio em ambientes rarefeitos. No acampamento-base do Monte Evereste, no Nepal, por exemplo, a atmosfera contém apenas 53 por cento de oxigéneo ao nível do mar.

"Provamos pela primeira vez provas de que as adaptações metabólicas das células vermelhas começam a ocorrer horas depois da exposição a elevada altitude", sustentam os investigadores.

A conclusão significa que mesmo que um indivíduo não nasça com as mesmas variações genéticas que asseguram a sobrevivência dos 140 milhões de pessoas que vivem permanentemente em elevadas altitudes, o corpo humano tem a capacidade de adaptação rápida a estes ambientes.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC