sicnot

Perfil

Mundo

PM moçambicano está convicto de que Samora Machel foi assassinado

© Grant Neuenburg / Reuters

O primeiro-ministro de Moçambique, Carlos Agostinho do Rosário, afirmou esta segunda-feira que o seu Governo está convicto de que Samora Machel foi assassinado, manifestando confiança na descoberta da verdade.

"É nossa convicção de que Samora Machel foi assassinado pelo inimigo da autodeterminação, da paz, da igualdade entre os homens, da concórdia e da coexistência pacífica em Moçambique e na região da África Austral", declarou Rosário, discursando nas cerimónias alusivas à celebração do 30.º aniversário da morte do primeiro Presidente moçambicano.

Falando na localidade de Mbuzini, na África do Sul, onde em 19 de outubro de 1986, caiu o avião que transportava Machel, o primeiro-ministro moçambicano disse que o desfecho das investigações em torno do acidente continua a ser uma prioridade nacional e um imperativo patriótico

"Nós, moçambicanos, manifestamos a nossa convicção de que a verdade sobre o bárbaro assassinato de Samora Machel será um dia conhecida pelos povos da região, do mundo em geral e, muito em particular, pelo povo moçambicano", assinalou Carlos Agostinho do Rosário, na presença do vice-Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, de Graça Machel, viúva, filhos e demais familiares do falecido chefe de Estado, membros do Governo moçambicano sul-africano, líderes locais, religiosos e tradicionais, além de centenas de convidados, muitos dos quais do Congresso Nacional Africano (ANC) e da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo), ambos no poder.

O Executivo moçambicano, prosseguiu, aprecia e encoraja os esforços em curso que o Governo da África do Sul está a envidar para esclarecer as circunstâncias do trágico acidente que vitimou o Presidente Samora Machel.

"Reiteramos que o nosso Governo irá continuar a encetar esforços no sentido de que sejam esclarecidas as circunstâncias em que ocorreu o acidente que tirou a vida ao nosso saudoso Presidente e a comitiva que o acompanhava", acrescentou, referindo-se aos 34 membros da comitiva que também morreram no desastre.

Para Carlos Agostinho do Rosário, as boas lições que os povos moçambicano e sul-africano extraíram da luta comum contra o "apartheid" e dominação colonial devem prevalecer e orientarem os dois países para a convivência harmoniosa e desenvolvimento sustentável.

Rosário elogiou a decisão tomada pelo Governo sul-africano de declarar o Monumento Samora Machel de Mbuzini como património nacional da África do Sul.

"Este ato constitui fundamento para a imortalização histórica e das boas relações entre os povos moçambicano e sul-africano na luta contra todas as formas de discriminação racial, social e económica", sublinhou o primeiro-ministro.

Na ocasião, Agostinho do Rosário anunciou a decisão do Executivo moçambicano de declarar o monumento e o Centro de Interpretação da Matola, dedicado à solidariedade entre os povos dos dois países na luta contra o "apartheid" património cultural nacional de Moçambique.

Rosário exortou os povos moçambicano e sul-africano a continuar a pautar pela solidariedade e pelo fortalecimento de amizade com outros povos em prol de uma convivência harmoniosa baseada na amizade e na cooperação, como forma de manter viva a chama de Samora Machel.

O primeiro Presidente moçambicano morreu num desastre de aviação a 19 de outubro de 1986 em Mbuzini, na África do Sul, quando viajava entre a Zâmbia e Maputo.

As autoridades moçambicanas mantêm até hoje a versão de que o avião foi derrubado intencionalmente pelo regime do "apartheid", da África do Sul.

Lusa

  • Habitantes de Almeida barricaram-se durante seis horas em agência da CGD
    2:31

    País

    Perto de 100 pessoas estiveram esta quarta-feira barricadas na agência da Caixa Geral de Depósitos em Almeida, distrito da Guarda. O protesto contra o encerramento da agência só terminou quase seis horas depois, com a garantia que os autarcas serão recebidos na próxima terça-feira pela Administração do banco público. 

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Trump volta a apelar ao fim do programa nuclear de Pyongyang
    1:43

    Mundo

    Donald Trump voltou a apelar à Coreia do Norte para que abandone o programa nuclear e opte pela via do diálogo. O Presidente dos Estados Unidos chamou à Casa Branca, para uma reunião extraordinária, todos os senadores norte-americanos para serem informados sobre a atual crise com a Coreia do Norte.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Papa apelou à revolução da ternura
    0:52
  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.

  • Diário de John F. Kennedy vendido por 660 mil euros

    Mundo

    Um diário escrito por John F. Kennedy quando jovem, durante uma curta passagem pelo jornalismo, depois da II Guerra Mundial, foi vendido por mais de 700 mil dólares (642 mil euros), informou esta quarta-feira uma casa de leilões.