sicnot

Perfil

Mundo

Ministro da Defesa francês avisa que batalha por Mossul pode prolongar-se "por meses"

Reuters

O ministro da Defesa francês, Jean-Yves Le Drian, avisou hoje que a batalha para retomar a cidade iraquiana de Mossul aos 'jihadistas' do Estado Islâmico (EI) pode prolongar-se por meses.

Pode ser uma longa batalha, não se trata de uma 'guerra-relâmpago'...", disse aos jornalistas em Paris um dia após o início da ofensiva. "É uma cidade de 1,5 milhões de habitantes, é portanto um caso de longa duração, diversas semanas, talvez meses", assinalou.

O ministro insistiu na importância para a coligação internacional, designadamente a França, em apoiar as forças iraquianas para a retoma do bastião 'jihadista'.

"É o núcleo do nosso inimigo. Foi a partir de Mossul e de Raqa (na Síria) que fomentaram os atentados de que fomos vítimas, e que se fomentam outras ações", disse.

"Assim, é preciso atingir no coração. É o que vão fazer os iraquianos com o apoio da coligação", reforçou.

A ofensiva sobre Mossul, há muito aguardada, foi desencadeada na segunda-feira e envolve 30.000 homens na maior operação militar no Iraque desde a retirada das tropas norte-americanas em 2011.

Os militares norte-americanos, que lideram uma coligação que fornece apoio aéreo, também avisaram que a batalha será longa e difícil.

Na quinta-feira está agendado para Paris um encontro sobre o futuro de Mossul por iniciativa do ministro francês dos Negócios Estrangeiros, Jean-Marc Ayrault, enquanto os 13 ministros da Defesa da coligação, incluindo o norte-americano Ashton Carter, se reúnem na terça-feira seguinte, também na capital francesa, para avaliar os progressos na frente militar.

  • Atrás das Câmaras em Mirandela
    2:36

    Atrás das Câmaras

    A SIC está a percorrer o pais para ouvir as historias dos municípios e dos eleitores. Até às autárquicas, o programa opinião pública dá lugar ao Atrás das Câmaras, que hoje está em Mirandela, no distrito de Bragança, como conta a repórter Catarina Lázaro.

    Hoje na SIC e SIC Notícias

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03
  • "Não é possível fazer tudo ao mesmo tempo"
    0:39

    Orçamento do Estado 2018

    O deputado e economista do PS Paulo Trigo Pereira defende que o desagravamento fiscal que o Governo quer pôr em marcha é "moderado". Em entrevista ao Público e à Renascença, o socialista diz que é preciso realismo e que é uma "alquimia" mexer ao mesmo tempo nas carreiras, pensões e rendimentos dos trabalhadores.

  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15