sicnot

Perfil

Mundo

Socialistas espanhóis decidem no domingo se mantêm ou não veto a Rajoy

"Temos de escolher entre a abstenção e as eleições. É isto que devemos discutir", declarou Javier Fernandez, presidente da comissão que assegura interinamente a direção do PSOE.

© Sergio Perez / Reuters

Os socialistas espanhóis anunciaram esta terça-feira que decidirão no domingo se permitem que a direita governe ou se mantêm o seu veto, o que conduzirá a novas eleições em dezembro, as terceiras legislativas num ano.

O comité federal, "parlamento" do Partido Socialista (PSOE) composto por cerca de 300 elementos, reunir-se-á no domingo na sede do partido em Madrid para tomar essa decisão, confirmaram à agência France Presse duas fontes socialistas.

Divididos, os socialistas deverão decidir se vários eleitos do seu grupo parlamente se devem abster durante uma votação para permitir ao chefe do governo cessante, o conservador Mariano Rajoy, permanecer no poder ou manter o seu veto contra a direita.

Se nenhum novo chefe de governo tomar posse até 31 de outubro, o parlamento espanhol será dissolvido e novas legislativas, as terceiras no prazo de um ano, realizar-se-ão em princípio a 18 de dezembro.

"Temos de escolher entre a abstenção e as eleições. É isto que devemos discutir", declarou hoje Javier Fernandez, presidente da comissão que assegura interinamente a direção do PSOE.

O Partido Popular (PP) de Mariano Rajoy, primeira força no parlamento mas sem maioria absoluta desde as legislativas de dezembro de 2015, não conseguiu encontrar aliados para formar um novo governo e há 10 meses que gere os assuntos correntes.

Os conservadores esperam que o PSOE ceda após a saída a 1 de outubro do seu antigo secretário-geral Pedro Sanchez, partidário do "não" custe o que custar. Sanchez foi afastado pelos que defendem uma abstenção.

Lusa

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC