sicnot

Perfil

Mundo

Socialistas espanhóis decidem no domingo se mantêm ou não veto a Rajoy

"Temos de escolher entre a abstenção e as eleições. É isto que devemos discutir", declarou Javier Fernandez, presidente da comissão que assegura interinamente a direção do PSOE.

© Sergio Perez / Reuters

Os socialistas espanhóis anunciaram esta terça-feira que decidirão no domingo se permitem que a direita governe ou se mantêm o seu veto, o que conduzirá a novas eleições em dezembro, as terceiras legislativas num ano.

O comité federal, "parlamento" do Partido Socialista (PSOE) composto por cerca de 300 elementos, reunir-se-á no domingo na sede do partido em Madrid para tomar essa decisão, confirmaram à agência France Presse duas fontes socialistas.

Divididos, os socialistas deverão decidir se vários eleitos do seu grupo parlamente se devem abster durante uma votação para permitir ao chefe do governo cessante, o conservador Mariano Rajoy, permanecer no poder ou manter o seu veto contra a direita.

Se nenhum novo chefe de governo tomar posse até 31 de outubro, o parlamento espanhol será dissolvido e novas legislativas, as terceiras no prazo de um ano, realizar-se-ão em princípio a 18 de dezembro.

"Temos de escolher entre a abstenção e as eleições. É isto que devemos discutir", declarou hoje Javier Fernandez, presidente da comissão que assegura interinamente a direção do PSOE.

O Partido Popular (PP) de Mariano Rajoy, primeira força no parlamento mas sem maioria absoluta desde as legislativas de dezembro de 2015, não conseguiu encontrar aliados para formar um novo governo e há 10 meses que gere os assuntos correntes.

Os conservadores esperam que o PSOE ceda após a saída a 1 de outubro do seu antigo secretário-geral Pedro Sanchez, partidário do "não" custe o que custar. Sanchez foi afastado pelos que defendem uma abstenção.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32