sicnot

Perfil

Mundo

Rússia prolonga pausa humanitária para 11 horas em Alepo na Síria

© Abdalrhman Ismail / Reuters

O exército russo prolongou esta quarta-feira para 11 horas a "pausa humanitária" que na quinta-feira deverá permitir a retirada de civis e de rebeldes da cidade de Alepo, norte da Síria, alvo desde há semanas de intensos bombardeamentos aéreos.

De início, o cessar-fogo anunciado pela Rússia devia prolongar-se por oito horas, mas segundo o estado-maior do exército russo foi alargado para 11 horas "a pedido de organizações internacionais".

O cessar-fogo deve assim começar na quinta-feira às 08:00 locais (06:00 em Lisboa) e terminar às 19:00 locais (17:00 em Lisboa), indicou o general Serguei Roudskoi.

Desde a manhã de terça-feira que os aviões russos e sírios "não se aproximam a menos de 10 quilómetros de Alepo" na perspetiva de instauração desta trégua.

Na manhã de quinta-feira vão ser estabelecidos oito corredores humanitários, incluindo seis para a retirada dos civis e dois para a saída dos rebeldes armados, precisou a mesma fonte.

"Se o desejarem", os habitantes doentes ou feridos que abandonem os bairros rebeldes "podem ser hospitalizados em Alepo-oeste", indicou Roudskoi, precisando que "tudo está preparado para serem assistidos".

Situados essencialmente perto de escolas e de mesquitas, os pontos de entrada dos corredores humanitários de retirada da cidade serão vigiados por aviões não tripulados ('drones'), segundo o general russo.

Nove autocarros e sete ambulâncias serão enviados para os corredores humanitários no norte da cidade e oito autocarros e oito ambulâncias deslocados para sul, precisou, com mais veículos de reserva.

Os funcionários da missão da ONU e voluntários do Crescente Vermelho sírio vão participar nesta operação e acompanhar os civis durante todo o trajeto após a saída de Alepo, indicou.

O desenrolar da operação será difundido em tempo real no 'site' do ministério russo da Defesa através de câmaras de videovigilância instaladas perto dos corredores humanitários, segundo o general russo, antes de assegurar que população e rebeldes foram informados "antecipadamente" dos locais onde se sitiam os corredores humanitários.

"As partes russa e síria cumpriram todas as suas obrigações relacionadas com a organização de uma operação humanitária no leste de Alepo", sublinhou. "Esperamos que os Estados Unidos e as outras partes interessadas possam influenciar os chefes dos grupos armados para assegurar a evacuação de doentes e feridos, e ainda dos civis e a retirada dos rebeldes", acrescentou Roudskoi.

Lusa

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.

  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.