sicnot

Perfil

Mundo

Vhils inaugura primeiro mural em Macau na próxima semana

© Rafael Marchante / Reuters

O artista Alexandre Farto, conhecido como Vhils, inaugura a 9 de dezembro o seu primeiro trabalho em Macau, um mural nos jardins do Consulado de Portugal naquela região administrativa especial da China, que teve administração portuguesa até 1999.

O mural resulta de uma parceria entre o Consulado-geral de Portugal em Macau e Hong Kong e a Casa de Portugal em Macau.

"É uma parceria pensada em conjunto para dar a oportunidade a que o território ficasse com uma obra de um artista de renome mundial", disse hoje à agência Lusa a presidente da Casa de Portugal em Macau, Amélia António, sublinhando que a entidade que dirige tem entre as suas missões a divulgação da cultura portuguesa e que o mural de Vhils poderá ser apreciado pela comunidade local e pelos milhões de turistas que todos os anos visitam a cidade.

Também o cônsul Vítor Sereno destacou que o trabalho de Vhils é "reconhecido mundialmente" e considerou que é um exemplo de que "há um Portugal moderno, competitivo, parceiro estratégico para bons investimentos".

"Com uma obra de grande valor e simbolismo damos assim também, em paralelo, um singelo contributo para a 'diversificação' [económica de Macau] pedida pelos Governos central [China] e desta Região Administrativa Especial, criando um elemento adicional de atratividade artística para Macau", acrescentou.

Segundo o cônsul, o mural "dá corpo a uma ideia que se começou a desenhar há cerca de ano e meio" no ateliê de Vhils em Hong Kong e além de esta ser a primeira obra do artista em Macau, "é também a primeira numa representação diplomática portuguesa".

Alexandre Farto nasceu em Lisboa, em 1987 e terminou os seus estudos de Arte em 2008, em Londres.

Vhils cresceu no Seixal, onde começou por pintar paredes e comboios com 'graffiti', aos 13 anos.

Captou a atenção a 'escavar' muros com retratos, um trabalho que tem sido reconhecido a nível nacional e internacional e que já levou o artista a vários cantos do mundo.

Em 2014, inaugurou a primeira grande exposição em Portugal, o Museu da Eletricidade, em Lisboa. "Dissecação/Dissection" atraiu mais de 65 mil visitantes em três meses.

Esse ano ficaria também marcado pela colaboração com a banda irlandesa U2, para a qual criou um vídeo incluído no projeto visual "Films of Innocence" e é um complemento do álbum "Songs of Innocence".

Em 2015, o trabalho de Vhils chegou ao espaço, à Estação Espacial Internacional (EEI), no âmbito do filme "O sentido da vida", do realizador Miguel Gonçalves Mendes.

No passado mês de março, inaugurou a primeira exposição individual em Hong Kong, "Debris", no topo do Pier 4 (Cais 4).

Paralelamente ao desenvolvimento da sua carreira criou, com a francesa Pauline Foessel, a plataforma Underdogs, projeto cultural que se divide entre arte pública, com pinturas nas paredes da cidade, e exposições dentro de portas, em Lisboa.

Este ano, recebeu o prémio personalidade do ano da Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal.

Lusa

  • Buscas e apreensões na esquadra da PSP na Brandoa

    País

    O Ministério Público de Sintra esteve a fazer buscas e apreensões, esta manhã, na esquadra da PSP da Brandoa, no concelho da Amadora. De acordo com a Procuradoria-Gera Distrital de Lisboa, em causa estão crimes de corrupção passiva e ativa e abuso de poder.

  • Portugueses divididos na recondução da procuradora-geral da República
    1:31
  • "Os castigos incluiam sovas frequentes e até estrangulamento"
    5:03
  • Teste ao sangue deteta oito tipos de cancro

    Mundo

    Um novo teste sanguíneo experimental permitiu detetar precocemente os oito cancros mais frequentes em 70 por cento dos casos, de acordo com um estudo publicado na revista Nature feito por investigadores nos Estados Unidos.