sicnot

Perfil

Mundo

Extremistas do Daesh reivindicam ataque na Jordânia

© Muhammad Hamed / Reuters

O Daesh reivindicou o ataque perpetrado no domingo na cidade turística jordana de Karak que causou dez mortos, incluindo membros das forças de segurança e turistas, segundo um comunicado divulgado esta terça-feira na Internet.

"Quatro soldados do califado - mortos - munidos com armas automáticas e granadas atacaram unidades da segurança da Jordânia e cidadãos de Estados da coligação cruzada na cidade de Karak na Jordânia", referiu o texto do grupo extremista, numa referência à coligação internacional que luta contra o Daesh na Síria e no Iraque.

O ataque em Karak, a cerca de 120 quilómetros a sul de Amã, fez 10 mortos: sete polícias, dois civis jordanos e uma turista canadiana. O atentado, que visou uma esquadra da polícia e uma patrulha policial, fez igualmente 30 feridos.

Após uma troca de tiros de várias horas, os quatro atacantes foram abatidos a tiro pelas forças de segurança na cidadela de Karak, um castelo construído pelos Templários na Idade Média e um conhecido ponto turístico na Jordânia, onde os extremistas estavam barricados.

Uma fonte dos serviços de segurança indicou, em declarações à agência noticiosa francesa AFP, que os atacantes eram "cidadãos jordanos membros de uma célula terrorista" e "suspeitos de terem ligações ao Daesh".

A mesma fonte referiu que "uma grande quantidade de explosivos, cintos de explosivos e de armas automáticas foram apreendidos" numa casa onde os quatro extremistas estavam a preparar a operação.

Dada a quantidade de explosivos e de armas apreendidas no local, o ministro do Interior jordano admitiu que os extremistas estariam a planear ataques de grande dimensão.

A Jordânia é membro da coligação internacional que combate o Daesh na Síria e no Iraque desde 2014, bem como acolhe no seu território tropas dessa mesma coligação.

Quatro ataques "terroristas" atingiram este ano a Jordânia, incluindo um atentado suicida em junho passado reivindicado pelo Daesh que matou sete elementos da guarda fronteiriça jordana junto da fronteira com a Síria.

Os jihadistas do Daesh, combatentes que iniciaram em junho de 2014 uma grande ofensiva e que se assumem como participantes numa 'guerra santa', proclamaram um "califado" nos territórios que controlam na Síria e no Iraque.

Com Lusa

  • Nove mortos e dezenas de feridos em ataque na Jordânia
    0:47

    Mundo

    Um ataque no sul da Jordânia fez pelo menos nove mortos. Um grupo armado entrou numa zona turística da cidade de Karak e começou a disparar indiscriminadamente. A última informação dá conta de 29 pessoas levadas para o hospital, algumas feridas com gravidade.

  • Ataque no sul da Jordânia faz nove mortos

    Mundo

    Pelo menos nove pessoas, entre elas uma turista canadiana, morreram este domingo num tiroteio entre grupos de homens armados a uma esquadra e veículos da polícia, no sul da Jordânia, anunciou o Departamento de Segurança Nacional num comunicado.

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC