sicnot

Perfil

Mundo

Turquia prendeu 1.656 utilizadores de redes sociais nos últimos seis meses

© Dado Ruvic / Reuters

O Ministério do Interior da Turquia revelou este sábado que as autoridades prenderam 1.656 pessoas nos últimos seis meses por alegado apoio a organizações terroristas ou insultos nas redes sociais, estando a investigar pelo menos outras 10 mil pessoas.

Em comunicado, o ministério explicou que foram tomadas medidas legais contra 3.710 pessoas identificadas pela polícia, acrescentando que 1.203 pessoas foram libertadas em liberdade condicional, 767 foram libertadas e 84 ainda estão detidas.

Estão também em curso investigações e procedimentos legais contra mais 10 mil pessoas denunciadas ao Ministério Público, indica a agência Associated Press.

A Turquia reprime a dissidência depois de, em julho, uma tentativa de golpe de Estado ter fracassado, originando milhares de detidos por supostas ligações a grupos proibidos.

As autoridades restringem frequentemente o acesso às redes sociais para evitar a difusão de informação considerada prejudicial para a segurança pública.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.