sicnot

Perfil

Mundo

Detida mulher ligada a caso de corrupção que envolve presidente sul-coreana

© Kim Hong-Ji / Reuters

Uma mulher relacionada com o caso de corrupção que levou à destituição da Presidente da Coreia do Sul foi detida na Dinamarca, informou hoje a Ministério Público sul-coreano.

Uma mulher relacionada com o caso de corrupção que levou à destituição da Presidente da Coreia do Sul foi detida na Dinamarca, informou hoje a Ministério Público sul-coreano.

Trata-se da filha de Choi Soon-sil, a amiga da Presidente Park Geun-hye que está no centro do caso de alegada corrupção que as autoridades estão a investigar.

As autoridades sul-coreanas tinham pedido à Interpol (Organização Internacional de Polícia Criminal) para procurar Chung Yoo-ra, que foi detida na Dinamarca.

O Ministério Público acusou a Presidente Park Park Geun-hye de conluio com Choi Soon-sil para extorquir dinheiro e favores de algumas das maiores empresas do país, e de permitir que a amiga manipulasse assuntos de Estado.

A agência de notícias sul-coreana disse que Chung alegadamente tirou partido da relação da mãe com Park para obter favores de uma universidade em Seul.

A 31 de dezembro, o ex-ministro da Saúde da Coreia do Sul Moon Hyung-Pyo ficou em prisão preventiva no âmbito do mesmo caso.

Moon Hyung-Pyo reconheceu que quando era ministro (entre dezembro de 2013 e agosto de 2015) pressionou o serviço nacional de pensões para apoiar uma fusão entre duas filiais da Samsung, apesar de a participação do fundo em uma das empresas ter perdido centenas de milhões de dólares em valor.

O ex-ministro estava atualmente à frente do serviço nacional de pensões da Coreia do Sul.

O parlamento, controlado pela oposição, aprovou a destituição da Presidente a 09 de dezembro, decisão que terá de ser ratificada, num prazo de seis meses, pelo Tribunal Constitucional.

Os seus poderes presidenciais estão suspensos, com o primeiro-ministro a liderar o Governo.

Lusa

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52