sicnot

Perfil

Mundo

Praticante de parkour morre no metro de Paris

O inglês Nye Frankie Newman - conhecido pelas suas exibições de parkour - morreu no passado domingo, num acidente no metro de Paris. Os detalhes da morte do jovem de 17 anos não foram revelados, mas os seus colegas garantem que ele não estava a praticar parkour.

A morte do jovem foi confirmada pelo grupo de parkour Brewman, de Surrey, em Inglaterra, a partir da sua conta no Facebook. Newman pertencia ao grupo, que acabou por fazer uma homenagem ao jovem, dizendo que "ele era o tipo de pessoa que não tinha arrependimentos e vivia cada dia como se fosse o último".

Na sua última publicação nas redes sociais, Newman fez uma lista dos países que visitou em 2016, por causa do parkour: Grécia, Marrocos, Espanha, França, República Checa, Suíça, Irlanda do Norte, Alemanha, Dinamarca, Itália, Finlândia, China, Filipinas, Hong Kong e Holanda.

No perfil do grupo é possível ver fotografias do jovem em vários desses locais. Em algumas, Newman aparece à beira de pontos altos e aparentemente muito perigosos.

Contudo, o comunicado sobre a morte de Newman nega que o jovem estivesse a praticar parkour quando morreu.

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.