sicnot

Perfil

Mundo

Papa denuncia "loucura homicida" do terrorismo fundamentalista islâmico

© POOL New / Reuters

O Papa Francisco denunciou hoje a "loucura homicida" do terrorismo fundamentalista islâmico, e pediu novamente a todos os responsáveis religiosos que "lembrem vigorosamente que nunca se pode matar em nome de Deus".

No encontro com o corpo diplomático acreditado junto do Vaticano, Francisco evocou os vários países atingidos, no ano passado, "pelo terrorismo de matriz fundamentalista" e denunciou a "loucura homicida que abusa do nome de Deus para semear a morte".

"São gestos desprezíveis, que usam crianças para matar, como na Nigéria. Visam quem reza, como na catedral copta no Cairo, ou simplesmente quem passeia nas ruas de uma cidade, como em Nice e Berlim, ou quem festeja a chegada do Ano Novo, como em Istambul", lembrou.

"Apelo a todas as autoridades religiosas para que se mantenham unidas e lembrem vigorosamente que nunca se pode matar em nome de Deus", sublinhou.

Para Jorge Bergoglio, o "terrorismo fundamentalista é fruto de grave miséria espiritual, à qual está frequentemente ligada também uma pobreza social" e "só pode ser plenamente derrotado com a contribuição comum de líderes religiosos e políticos".

O papa apelou aos políticos para "garantirem no espaço público o direito à liberdade religiosa, reconhecendo o contributo positivo que exerce", e "políticas sociais adaptadas" para "evitar a formação de condições que se tornam num terreno fértil para o crescimento dos fundamentalismos".

Lusa

  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • Criança irrequieta domina noticiário britânico
    1:19

    Mundo

    Um noticiário da televisão britânica ITV recebeu em estúdio uma família que tinha uma criança muito irrequieta. O jornalista Alastair Steward não se importou com o comportamento da criança e entrou sempre nas brincadeiras.