sicnot

Perfil

Mundo

Papa denuncia "loucura homicida" do terrorismo fundamentalista islâmico

© POOL New / Reuters

O Papa Francisco denunciou hoje a "loucura homicida" do terrorismo fundamentalista islâmico, e pediu novamente a todos os responsáveis religiosos que "lembrem vigorosamente que nunca se pode matar em nome de Deus".

No encontro com o corpo diplomático acreditado junto do Vaticano, Francisco evocou os vários países atingidos, no ano passado, "pelo terrorismo de matriz fundamentalista" e denunciou a "loucura homicida que abusa do nome de Deus para semear a morte".

"São gestos desprezíveis, que usam crianças para matar, como na Nigéria. Visam quem reza, como na catedral copta no Cairo, ou simplesmente quem passeia nas ruas de uma cidade, como em Nice e Berlim, ou quem festeja a chegada do Ano Novo, como em Istambul", lembrou.

"Apelo a todas as autoridades religiosas para que se mantenham unidas e lembrem vigorosamente que nunca se pode matar em nome de Deus", sublinhou.

Para Jorge Bergoglio, o "terrorismo fundamentalista é fruto de grave miséria espiritual, à qual está frequentemente ligada também uma pobreza social" e "só pode ser plenamente derrotado com a contribuição comum de líderes religiosos e políticos".

O papa apelou aos políticos para "garantirem no espaço público o direito à liberdade religiosa, reconhecendo o contributo positivo que exerce", e "políticas sociais adaptadas" para "evitar a formação de condições que se tornam num terreno fértil para o crescimento dos fundamentalismos".

Lusa

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.