sicnot

Perfil

Mundo

Vice-primeiro-ministro da Irlanda do Norte demite-se e ameaça fazer cair Governo

© Clodagh Kilcoyne / Reuters

O vice-primeiro-ministro da Irlanda do Norte, Martin McGuinness, personalidade do Sinn Fein e antigo chefe do IRA (Exército Republicano Irlandês), anunciou esta segunda-feira a sua demissão, ameaçando fazer ruir a coligação atualmente no poder naquela província britânica.

Esta demissão, que o Sinn Fein considera resultar da má gestão do seu parceiro de coligação DUP (unionista) de um dossiê sobre as energias renováveis, pode levar a novas eleições na Irlanda do Norte.

"É com profundo pesar e com algumas reservas que entreguei a minha demissão à primeira-ministra. Terá efeitos a partir das 17:00", a explicou McGuinness.

O Sinn Fein exige desde há algumas semanas a demissão da primeira-ministra da Irlanda do Norte, Arlene Foster, líder do DUP, para abrir caminho a uma investigação judicial sobre acusações de má gestão de dinheiros públicos relacionadas com subsídios dados a programas de energias renováveis.

Na segunda-feira Arlene Foster voltou a rejeitar a possibilidade de uma investigação sobre a matéria.

"Tomo as minhas decisões em função do eleitorado e não, certamente, do Sinn Fein", declarou Foster.

No seu comunicado, McGuinness respondeu que "o Sinn Fein não vai tolerar a arrogância de Arlene Foster e do DUP", acrescentando que a posição da primeira-ministra "não é sustentável".

Para que o atual governo possa manter-se em funções, o Sinn Fein terá de nomear um substituto para McGuinness. Mas o partido já anunciou que não o fará.

Um porta-voz do governo britânico, em Londres, já declarou que o Executivo do Reino Unido "encoraja todos os partidos a continuar o diálogo".

Lusa

  • Seca contribui para a redução de nutrientes no mar e está a afetar a pesca
    2:11
  • Francisco George toma posse como presidente da Cruz Vermelha Portuguesa

    País

    O ex-diretor-geral da Saúde, Francisco George toma hoje posse como presidente da Cruz Vermelha Portuguesa. Em entrevista à Lusa, manifestou a intenção de criar uma unidade para abastecimento de água potável e redução dos problemas de saneamento em catástrofes como os incêndios deste verão. Além disso, em nome da transparência, vai tornar públicas as contas do organização, incluindo os donativos.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44