sicnot

Perfil

Mundo

Monge sul-coreano morreu depois de se imolar pelo fogo

Um monge budista sul-coreano morreu dias depois de se imolar pelo fogo em protesto contra o acordo com o Japão sobre as antigas escravas sexuais, segundo informou esta terça-feira um hospital de Seul.

O monge de 64 anos ateou fogo a si próprio no sábado durante protestos contra a destituição da Presidente Park Geun-hye.

No seu caderno, encontrado no local, criticava o acordo de 2015 de Park para resolver o impasse sobre as mulheres coreanas que foram forçadas a ser escravas sexuais das tropas japonesas durante a II Guerra Mundial, em troca de um pedido de desculpa do primeiro-ministro do Japão e uma promessa de doação de milhões de dólares.

O homem foi declarado morto na segunda-feira à noite por falha múltipla de órgãos causada pelas suas queimaduras, de acordo com o Hospital Universitário Nacional de Seul.

As disputas em torno das escravas sexuais são um legado da ocupação japonesa da península coreana entre 1910 e 1945.

O acordo de Park com o Japão gerou críticas por ter sido anunciado sem a aprovação das sobreviventes. Ao abrigo deste acordo, que os dois países descreveram como "final e irreversível" na altura da assinatura, o Japão prometeu financiar uma fundação sedeada em Seul focada no apoio às vítimas.

A Coreia do Sul, por seu lado, disse que se iria abster de criticar o Japão sobre o assunto e tentar ultrapassar a mágoa para com o Japão com uma estátua de bronze, representando as escravas sexuais do tempo da guerra, colocada em frente à embaixada japonesa em Seul.

O futuro do acordo foi posto em causa no início deste mês depois de o Japão ter dito que iria chamar o seu embaixador para a Coreia do Sul e suspender negociações económicas em resposta à colocação de outra estátua na segunda cidade sul-coreana, Busan.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros de Seul disse que a decisão foi "lamentável".

Lusa

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho