sicnot

Perfil

Mundo

Spotify quer contratar Obama para "presidente das playlists"

Daqui a 10 dias Barack Obama deixará de ser presidente. Para já, dos Estados Unidos da América já que a Spotify que contratar Obama como o "presidente das playlists".

A empresa publicou na sua página oficial um anúncio para o emprego chamado "presidente das playlists". Apesar de a publicação não referir o nome de Barack Obama, é bastante óbvio que existe apenas um homem realmente qualificado para o trabalho.

"Enquanto Organização, temos esperança e estamos sempre abertos a mudanças", a empresa escreve. "O candidato terá de ter pelo menos 'oito anos de experiência a presidir uma conceituada nação' e 'novas ideias para playlists, como por exemplo, uma para atirar cestos com os amigos, à playlist de aquecimento para discursar perante uma nação sobre a legislação da saúde'."

"Tem de ter boas relações com um grande número de artistas e músicos", a publicação continua. "Alguma vez teve o Kendrick Lamar a tocar na sua festa de aniversário? Adoraríamos saber mais sobre isso!"

O fundador da empresa e CEO Dan Elk teve um discurso mais direto para a contratação do ainda Presidente dos EUA, ao enviar um tweet a Barack Obama: "Ouvi dizer que estavas interessado em ter um trabalho na Spotify."

Apesar de não haver qualquer informação oficial da Casa Branca sobre este possível emprego, não seria a primeira vez que Barack Obama criaria uma playlist para o site de música.

© Larry Downing / Reuters

Em 2015, Barack Obama partilhou uma playlist de verão, que continha músicas de Janelle Monae, Edward Sharpe e Nina Simone. Já no outono, o ainda Presidente criou a sua própria playlist para ir ao ginásio, com Beyoncé, Icona Pop, the Isley Brothers e Jay Z.

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48