sicnot

Perfil

Mundo

Ativistas denunciam violações da trégua em Alepo

© Omar Sanadiki / Reuters

Bombardeamentos e disparos de artilharia atingiram nas últimas horas zonas controladas pelos rebeldes na província síria de Alepo, enquanto vários 'rockets' atingiram um bairro controlado pelas autoridades na capital com o mesmo nome, informaram hoje ativistas.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos destacou que aviões de guerra não identificados atacaram na passada madrugada áreas e localidades no oeste, sul e norte da província, como Al Malah, Al Mansura, Al Atareb, Jan al Asal e Al Rashidín, entre outras.

Os bombardeamentos foram acompanhados de disparos de artilharia das forças governamentais, que também tiveram como alvo a população de Andan, no norte da província.

As áreas atacadas são controladas por grupos rebeldes e islâmicos e não se registaram vítimas.

Ao mesmo tempo, várias pessoas ficaram feridas com o lançamento de sete 'rockets' contra o bairro de Nova Alepo, na capital provincial, que é controlada pelo exército.

Na mesma região, aviões das forças armadas sírias realizaram cerca de 20 bombardeamentos no sul da cidade de Al Bab e nos arredores da localidade de Deir Hafer, ambos controlados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Desde o passado dia 30 de dezembro está vigente na Síria uma trégua acordada pela Rússia, aliada do Governo de Damasco, e pela Turquia, que apoia a oposição, da qual estão excluídos o Estado Islâmico e a Frente de Conquista do Levante (ex-filial da Al Qaida).

  • PS acusa PSD e CDS de falta de agenda política
    1:01

    Caso CGD

    O PS considera o anúncio desta nova comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos um ataque doentio de PSD e CDS ao ministro das Finanças, que visa apenas desviar as atenções dos bons resultados da economia portuguesa. O deputado socialista João Paulo Correia diz que falta agenda política aos partidos de direita.

  • "Fiz coisas de que me envergonho"
    2:31
  • Mulheres heterossexuais têm menos orgasmos que as lésbicas

    Mundo

    As mulheres heterossexuais têm menos orgasmos que as lésbicas ou bissexuais, ou mesmo que todos os homens hetero, homo ou bissexuais. O estudo que dá conta desta realidade revela também o que fazer para aumentar as hipóteses de uma mulher alcançar um orgasmo.