sicnot

Perfil

Mundo

Donald Trump assegura que nunca foi chantageado pela Rússia

© Mike Segar / Reuters

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, assegurou hoje que a Rússia nunca tentou chantageá-lo com informação comprometedora, numa reação às notícias de que Moscovo possui informações embaraçosas sobre a sua vida pessoal e profissional.

"A Rússia nunca tentou influenciar-me. NÃO TENHO NADA A VER COM A RÚSSIA: NEM NEGÓCIOS, NEM EMPRÉSTIMOS, NADA!", escreveu Trump na rede social Twitter sobre as alegações veiculadas pela CNN e outros 'media'.

"As agências de informações nunca deviam ter permitido que estas notícias falsas fossem filtradas para o público. Mais um tiro contra mim. Vivemos na Alemanha nazi?", acrescentou naquela rede social, horas antes de dar a primeira conferência de imprensa desde que foi eleito.

A CNN, o Washington Post e o New York Times, entre outros, publicaram na terça-feira notícias citando um relatório dos serviços de informações dos EUA segundo o qual a Rússia tem informação comprometedora suficiente para "chantagear" Donald Trump.

Segundo aqueles meios, o relatório foi entregue na semana passada ao Presidente cessante, Barack Obama, e ao Presidente eleito, Donald Trump.

A Rússia negou hoje as alegações, qualificadas pelo porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, de "absolutamente falsas".

"É uma falsidade absoluta, fabricada" por quem tem interesse em "prejudicar as relações bilaterais" russo-norte-americanas.

Segundo os meios norte-americanos, a informação na posse da Rússia inclui um vídeo sobre uma suposta "perversão sexual" de Trump, filmado com prostitutas num hotel da capital russa, e sobre lucrativos negócios imobiliários oferecidos por Moscovo ao Presidente eleito.

Trump já tinha reagido num primeiro momento, pouco após a divulgação das notícias, escrevendo no Twitter que está a ser alvo de uma "caça às bruxas política".

Lusa

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.