sicnot

Perfil

Mundo

Kerry diz que declarações de Trump sobre Merkel são pouco apropriadas

© POOL New / Reuters

O secretário de Estado cessante dos Estados Unidos, John Kerry, classificou esta segunda-feira como "pouco apropriadas" as declarações do Presidente eleito, Donald Trump, sobre a chanceler alemã, Angela Merkel, descrevendo a chefe de governo germânica como "corajosa".

Numa paragem em Londres - nos últimos dias da sua última ronda diplomática ainda em funções - e a apenas a quatro dias da tomada de posse de Donald Trump, John Kerry disse à cadeia CNN que o Presidente eleito errou ao criticar Merkel na questão dos refugiados. Em resposta a uma entrevista de Trump ao jornal britânico The Times e ao alemão Bild, Kerry defendeu o papel da União Europeia, defendeu Merkel e a sua política quanto ao acolhimento de refugiados. "Muito francamente, penso que foi pouco apropriado para um presidente eleito dos Estados Unidos estar a meter-se na política de outros países de forma tão direta", disse Kerry à CNN. O chefe da diplomacia norte-americana acrescentou que "a partir de sexta-feira será o responsável pela relação" com a Alemanha, pelo que terá de "falar por ela". "Mas penso que temos de ser muito cautelosos acerca de sugerir que um dos mais fortes líderes da Europa - e um dos mais importantes quanto ao caminho que seguimos - fez um erro ou outro", realçou.

Na sua entrevista, divulgada hoje pelos dois jornais, Trump classificou a NATO como uma organização "obsoleta", aplaudiu a decisão do Reino Unido de sair da União Europeia e considerou "catastrófica" a política de Angela Merkel sobre o acolhimento de refugiados."Eu acho que ela foi extremamente corajosa e penso que essa caracterização não corresponde nada ao que aconteceu", disse.

Kerry alertou que os inimigos da Europa, incluindo a Rússia, estão a tentar dividir o Ocidente e recordou que a administração do Presidente Obama se opôs fortemente ao 'Brexit'. O secretário de Estado norte-americano participa na terça-feira no Fórum Económico de Davos, na Suíça.

Lusa

  • John Kerry acredita que Trump mudará de posição relativamente ao clima
    0:35

    Mundo

    O secretário de Estado norte-americano acredita que as posições de Donald Trump em matéria de clima e ambiente vão mudar quando chegar à Casa Branca. Durante a campanha, Trump considerou o aquecimento global um "embuste". Na conferência do clima, em Marrocos, John Kerry afirmou que mesmo que o próximo Presidente quisesse mudanças, o mercado não ia deixar.

  • Marco Silva despedido do comando técnico do Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva deixou o comando técnico do Watford, anunciou o 10.º classificado da Liga inglesa de futebol no seu sítio na Internet. "Foi uma decisão difícil e não foi tomada de ânimo leve. O clube está convencido de que a contratação de Marco Silva foi a correta e não fosse a abordagem indesejada de um rival da 'Premier League', continuaríamos a prosperar sob o seu comando", lê-se no comunicado do clube.

  • Os apelos de Marcelo para a reforma do Estado
    1:36

    País

    O Presidente da República lamentou este sábado que o consenso para uma reforma do Estado seja um sonho adiado. No enceramento do congresso "Portugal no Futuro", Marcelo Rebelo de Sousa apelou a entendimentos em áreas estratégicas e defendeu que é preciso passar as palavras à ação, o quanto antes.

    Débora Henriques

  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Admirável mundo novo
    16:17