sicnot

Perfil

Mundo

MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

O dilema: o acidente é inevitável. Quem morre?

MIT

A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

O acidente é inevitável. Quem morre? É esta a questão que os investigadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) querem ver respondida pelas pessoas que acedem à sua "Máquina Moral".

Não há uma resposta certa ou errada, é uma questão moral que depende do livre arbítrio humano. Que uma máquina obviamente não tem.

Os investigadores querem obter o máximo de respostas para poder extrair a que foi escolhida pela maioria e introduzi-la na máquina.

Na simulação são apresentados alguns cenários interessantes. Será a vida humana mais valiosa que a de um animal? Deverão ser atropelados dois criminosos e dois inocentes ou deverá morrer o condutor e três passageiros (todos inocentes)? Serão os idosos menos valiosos que os jovens? Uma mulher será mais valiosa que um homem? Tudo questões sem respostas certas em cenários que têm uma ínfima hipótese de ocorrer durante a vida.

De qualquer forma, serão respostas úteis para os programadores de carros sem condutor, porque darão a perspetiva humana de como as pessoas acham que um carro deve atuar em tais circunstâncias únicas.

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho