sicnot

Perfil

Mundo

Obama faz dotação de 500 milhões de dólares para fundo verde para o clima

© Jonathan Ernst / Reuters

A administração cessante do Presidente Barack Obama anunciou esta terça-feira a contribuição de 500 milhões de dólares para o "fundo verde" da Organização das Nações Unidas para o clima, três dias antes de passar a pasta a Donald Trump.

O acordo de Paris sobre o clima assinado no final de 2015 foi um dos sucessos do Presidente Obama, enquanto o seu sucessor, Donald Trump, era particularmente cético relativamente à luta contra o aquecimento global. Um ano antes do acordo da Cimeira do Clima em Paris, a administração Obama anunciou, em novembro de 2014, uma contribuição de três mil milhões de dólares para o fundo verde da ONU para o clima.

Hoje, três dias antes da investidura de Donald Trump como o 45º Presidente dos Estados Unidos da América, o departamento de Estado indicou que fará uma contribuição de 500 milhões de dólares suplementares para o "fundo verde" do clima, depois de num ano ter contribuído com 500 milhões. Este fundo representa "a maior instituição financeira multilateral do mundo consagrada à luta contra o aquecimento global", disse a diplomacia americana, sublinhando que "mais de 180 países criaram programas para a redução da emissão de gases".

Na passada semana, perante o Congresso, o futuro patrão da diplomacia americana nomeado por Donald Trump, o ex-presidente executivo da petrolífera ExxonMobil, Rex Tillerson, considerou "importante" que os Estados Unidos continuem mobilizados na luta internacional contra o aquecimento global. "Nenhum país pode resolver sozinho este problema", sublinhou Rex Tillerson, deixando entender que é favorável a que Washington continue a integrar o acordo de Paris, assinado em dezembro de 2015 por 195 países e no qual o Presidente Obama desempenhou um papel fundamental.

Durante a campanha eleitoral, Donald Trump prometeu fazer sair Washington do acordo sobre o clima e já depois de eleito manifestou ter "abertura" para a questão.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.