sicnot

Perfil

Mundo

Obama faz dotação de 500 milhões de dólares para fundo verde para o clima

© Jonathan Ernst / Reuters

A administração cessante do Presidente Barack Obama anunciou esta terça-feira a contribuição de 500 milhões de dólares para o "fundo verde" da Organização das Nações Unidas para o clima, três dias antes de passar a pasta a Donald Trump.

O acordo de Paris sobre o clima assinado no final de 2015 foi um dos sucessos do Presidente Obama, enquanto o seu sucessor, Donald Trump, era particularmente cético relativamente à luta contra o aquecimento global. Um ano antes do acordo da Cimeira do Clima em Paris, a administração Obama anunciou, em novembro de 2014, uma contribuição de três mil milhões de dólares para o fundo verde da ONU para o clima.

Hoje, três dias antes da investidura de Donald Trump como o 45º Presidente dos Estados Unidos da América, o departamento de Estado indicou que fará uma contribuição de 500 milhões de dólares suplementares para o "fundo verde" do clima, depois de num ano ter contribuído com 500 milhões. Este fundo representa "a maior instituição financeira multilateral do mundo consagrada à luta contra o aquecimento global", disse a diplomacia americana, sublinhando que "mais de 180 países criaram programas para a redução da emissão de gases".

Na passada semana, perante o Congresso, o futuro patrão da diplomacia americana nomeado por Donald Trump, o ex-presidente executivo da petrolífera ExxonMobil, Rex Tillerson, considerou "importante" que os Estados Unidos continuem mobilizados na luta internacional contra o aquecimento global. "Nenhum país pode resolver sozinho este problema", sublinhou Rex Tillerson, deixando entender que é favorável a que Washington continue a integrar o acordo de Paris, assinado em dezembro de 2015 por 195 países e no qual o Presidente Obama desempenhou um papel fundamental.

Durante a campanha eleitoral, Donald Trump prometeu fazer sair Washington do acordo sobre o clima e já depois de eleito manifestou ter "abertura" para a questão.

Lusa

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.