sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia Internacional pede a Trump respeito pelos direitos humanos

A Amnistia Internacional (AI) considerou que o Presidente dos Estados Unidos, que toma posse esta sexta-feira, tem de abandonar a "retórica do ódio" que pautou a sua campanha e comprometer-se na defesa dos "direitos humanos para todos".

Num comunicado divulgado no dia em que Donald Trump toma posse como o 45.º Presidente dos EUA, a AI exige que o chefe de Estado "proteja os que são afetados por conflitos armados e crises, e para garantir a proteção dos defensores dos direitos humanos".

Num comunicado, a Margaret Huang, diretora executiva da AI, lê-se que o mundo está "no meio de uma crise humanitária global, com mais pessoas a fugir da violência e das perturbações do que em qualquer outra altura desde a Segunda Guerra Mundial".

A AI já por várias vezes mostrou a sua preocupação por algumas das propostas de Trump feitas durante a campanha, nomeadamente a criação de um registo para os muçulmanos e os "ataques inflamados contra mulheres, pessoas negras, pessoas com deficiência, LGBT, ativistas, jornalistas e críticos", lembra o texto.

"Dizemos ao Presidente Trump: todos os dias no escritório, qualquer escolha que faça vai definir o seu legado; pode escolher deixar o mundo um sítio melhor, ou um sítio onde o ódio, o medo e a discriminação se fortalecem", lê-se no comunicado.

O texto divulgado esta noite deixa ainda críticas diretas a várias das escolhas para o novo executivo norte-americano, desde o secretário de Estado, Rex Tillerson, ao chefe da Agência Central de Inteligência, Mike Pompeo, passando pelo secretário da Defesa, o general James Mattis ou o da Segurança Interna, general John Kelly, entre outros, que a AI considera terem tido posturas que não ajudam a defender os direitos humanos.

Lusa

  • Díli decide legislativas em Timor-Leste
    1:48
  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • Norte também quer naturismo e praias de nudistas

    País

    O presidente da Turismo do Porto e Norte de Portugal defendeu hoje a criação de praias naturistas legalizadas na região, fazendo a apologia da formação de associações e negando que este seja um destino conservador.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15